segunda-feira, 31 de março de 2014

David Suzuki sobre por que é que a economia é "porca"


Economia convencional é uma forma de lesão cerebral Esse é o veredicto do ambientalista David Suzuki. Se você acha que isso é uma loucura, ouça-o. "Os economistas dizem que, se você cortar as florestas e colocar [o dinheiro] no banco, você pode fazer 6 ou 7 por cento", diz Suzuki. "Se você cortar as florestas e pôr na Malásia ou Papua Nova Guiné, você pode fazer 30 ou 40 por cento. Então, quem se importa se você manter a floresta, cortá-la [e] colocar o dinheiro noutro lugar! Quando essas florestas se foram, colocá-lo em peixes, quando os peixes são ... ido, colocá-lo em computadores. O dinheiro não representa nada, e dinheiro agora cresce mais rápido do que o mundo real. "A economia está tão fundamentalmente desligada do mundo real, que a torna destrutiva." [fonte: earthtribe]

Para saber mais sobre David Suzuki
The Nature of Things official website

domingo, 30 de março de 2014

The Stranglers - Meninblack



Vale a pena haver greve e menos carros...vejam lá esta vista bonita numa auto-estrada. Uma amazona do mundo tecnológico pseudo-desenvolvido ainda por dentro das nossas cabeças. A arte instala-se e desconstroi "mentiras" que à força de repetição nos tornam "obedientes" e "conformados".

The Stranglers - Meninblack
We're not here to destroy
We are here to employ

We have come to make you function
So we can eat you at our functions
We are the meninblack

sábado, 29 de março de 2014

In This Moment


Evi Vine- In This Moment

Tomorrow will come another day to survive
Into this we're thrown, feels the world has conspired
You say that you want more than anything to be hear by my side
Well you're not here now, that's when it counts.

So when you've tasted honey, can it ever be sweet
When you've held a diamond in your hands and you've known such luxury
When you've kissed an angel and held her till she breaks
Tell me now what's more real than this moment.

To you I'm just a stranger, have your eyes grown so tired
You say than I'm the answer wen the truth is I'm on fire
So when will you come, when will you release me from this spell
How do I compare with everyone else.

So when you've tasted honey, can it ever be sweet
When you've held a diamond in your hands and you've known such luxury
When you've kissed an angel and held her till she breaks
Tell me now what's more real than this moment...
Tell me now what's more real than this moment.

Oh restless heart, brought me to my knees,
Tear us apart, my love
Oh restless heart, come and rescue me
Not precious enough, this love...

sexta-feira, 28 de março de 2014

Reportagem RTP: Transição e Permacultura em Portugal


Agradecimentos e créditos à RTP1 que em boa hora decidiu dar publica visibilidade às opções e alternativas seminais de consolidação de experiências e conhecimentos importantes para divulgar os "novos mundos" daqueles que decidiram deixar de se queixar e tiveram a coragem para concretizar a Utopia e passar à acção.

quinta-feira, 27 de março de 2014

Documentário: Goldman Sachs - o banco que dirige o mundo



A Goldman Sachs tornou-se um supra-poder mundial. Um banco “demasiado grande para cair”, que criou e vendeu activos tóxicos para enganar propositadamente os seus clientes e construir um império premiando dirigentes políticos que actuam ao seu favor. Um banco que manda em estados e governos, entre os quais o do nosso país.

José Luís Arnault, antigo braço direito de Durão Barroso e cujo escritório foi um dos intervenientes no processo de privatização da REN, ANA e CTTs, foi a última aquisição política portuguesa da Goldman Sachs.

Este documentário desvenda os mecanismos da Goldman Sachs para dirigir o mundo.
[fonte Inflexão]

terça-feira, 25 de março de 2014

Descobertas sobre as plantas medicinais da floresta amazónica

"Os nossos repórteres entraram na Floresta Amazônica e mostram de onde vem a mais nova aposta da medicina fitoterápica: a copaíba, um antibiótico e anticancerígeno que pode ser usado até no tratamento dos dentes."

segunda-feira, 24 de março de 2014

Quais são os países mais afetados pela mudança climática

Segundo organização germânica, em primeiro lugar na categoria de risco estão os países insulares ou mais próximos à costa: Honduras, Mianmar e Haiti. Brasil está em zona de risco moderado.
Por Juliana Winkel, da Agência Jovem de Notícias, via Envolverde
Nesta terça-feira (12 de Novembro de 2013), a COP19 sediou a discussão a respeito dos índices da organização não-governamental Germanwatch, dedicada a analisar onde e como têm ocorrido os principais danos ambientais ao longo dos últimos anos, em especial ligados a fenómenos bruscos e de consequências violentas (inundações, tufões, ondas de calor e outros). Foram divulgados os dados mais recentes apurados pela organização, abrangendo o período entre 1993 e 2012. Em primeiro lugar na categoria de risco, estão os países insulares ou mais próximos à costa: Honduras, Mianmar e Haiti. Olhando para o último ano, os mais afectados foram as Filipinas, Paquistão e novamente o Haiti.
Germanwatch COP19: Germanwatch   os países mais afetados pelas mudanças climáticas
Outros países com índices altos de incidência ou risco de catástrofes, na América Latina, são Nicarágua, República Dominicana e Guatemala – dividindo a classificação com Banladesh, Vietnam, Mongólia e Tailândia. O Brasil está em zona de risco moderado – entre 51 e 100, em uma escala de zero a 100, embora também apresente potencial de risco especialmente em suas áreas litorâneas. De acordo com os especialistas do Germanwatch, é preciso uma união de tecnologia, recursos financeiros e conhecimento científico para enfrentar as mudanças climáticas.
Confira o relatório completo do Germanwatch (em inglês) neste link.

terça-feira, 18 de março de 2014

Cartoon da Semana- Propriedade da Monsanto



Monsanto é a maior empresa de sementes do mundo, que tem sido controversa promover (GM) culturas geneticamente modificadas por mais de 2 décadas. Segundo a Monsanto, os cultivos transgénicos não são a solução para a fome no mundo, eles também podem ajudar a combater a mudança climática. 
Também produz um pesticida chamado Roundup. Mas o RoundupReady tem impactos sociais e ambientais graves, com maior uso de pesticidas que levam a danos para a saúde e o meio ambiente. Em algumas regiões do globo, vastas monoculturas têm substituído floresta valiosa - o que resulta em grandes emissões de CO2 - e têm deslocado comunidades rurais e indígenas. 
Monsanto também co-fundou a Alliance for Abundant Food and Energy, um grupo de lobby criado para combater as críticas de que os agrocombustíveis roubar a terra para produção de alimentos, empurrando para cima o preço dos alimentos.

Mais informações

  • Ver video/estudo de Giles-Éric Séralini que demonstra a toxicidade do milho OGM
  • Debate na televisão francesa sobre OGM, pesticidas, corporações, após a publicação do referido estudo aqui


segunda-feira, 17 de março de 2014

O Homem, ser social e fragmentado

A ideologia do capital insere-se de tal modo na cabeça dos indivíduos que transforma qualquer hilota num zelota e por isso, sem a consciência de que se transforma num idiota. 

sábado, 15 de março de 2014

Dia Mundial do Consumidor

O Dia Mundial dos Direitos do Consumidor celebra-se a 15 de Março.

O Dia Mundial dos Direitos do Consumidor foi instituído por John F. Kennedy, ex-presidente dos Estados Unidos da América, precisamente a 15 de Março de 1962.
Kennedy defendeu os quatro direitos fundamentais dos consumidores:
   direito à segurança
   direito à informação
   direito à escolha
   direito a ser ouvido

Direitos do Consumidor em Portugal

Em Portugal, os direitos do consumidor encontram-se consagrados na Constituição da República Portuguesa e pela Lei de Defesa do Consumidor (lei 24/96 de 31 de julho):

   direito à proteção da saúde e segurança
   direito à qualidade dos bens ou serviços
   direito à proteção dos interesses económicos
   direito à prevenção e à reparação de prejuízos
   direito à formação e à educação para o consumo
   direito à informação para o consumo
   direito à representação e consulta
direito à proteção jurídica e a uma justiça acessível e pronta

Os consumidores podem reclamar utilizando para o efeito o Livro de Reclamações, obrigatório em todos os estabelecimentos públicos e privados. Em alternativa podem apresentar uma reclamação online, diretamente no site do portal do consumidor.

Definição de Consumidor
Considera-se consumidor todo aquele a quem sejam fornecidos bens, prestados serviços ou transmitidos quaisquer direitos, destinados a uso não profissional, por pessoa que exerça com caráter profissional uma atividade económica que vise a obtenção de benefícios

sexta-feira, 14 de março de 2014

Até ao decrescimento- entrevista a Florent Marcellesi



Entrevista com o pesquisador e activista ambiental Florent Marcellesi propondo formas inovadoras de enfrentar a crise numa perspectiva diferente. Elaborar em declínio, não só como uma opção económica e social, política, se não a urgência em travar a deplecção dos recursos naturais do planeta. Entrevista realizada em Córdoba, durante uma palestra que ele deu no IESA, Instituto de Estudos Avançados Sociais da Andaluzia.

Mais informações sobre decrescimento AQUI.

quinta-feira, 13 de março de 2014

Fotopoema da Semana- "Um dia" por Sophia M. Breyner


Um dia

Um dia, gastos, voltaremos
A viver livres como os animais

E mesmo tão cansados floriremos
Irmãos vivos do mar e dos pinhais.

O vento levará os mil cansaços
Dos gestos agitados irreais
E há-de voltar aos nossos membros lassos
A leve rapidez dos animais.

Só então poderemos caminhar
Através do mistério que se embala
No verde dos pinhais na voz do mar
E em nós germinará a sua fala.

Sophia de Mello Breyner

quarta-feira, 12 de março de 2014

Júlio Henriques, um dos mais distintos directores do Jardim Botânico de Coimbra


Por Helena Freitas
Sempre quis homenagear Júlio Henriques. Por coincidência, (um daqueles acasos!) acabei por aceitar um convite para uma conferência pública em sua homenagem numa data simbólica: no dia 15 de Janeiro de 2013. Júlio Henriques nasceu (e morreu) no dia 15 de Janeiro.

Para a grande maioria dos cidadãos de Coimbra, o seu nome evoca apenas uma das alamedas mais frequentadas da cidade, mas o fascínio que tenho por este invulgar homem da ciência, fez-me sempre acalentar o gosto de o homenagear. Um homem invulgarmente culto, um investigador brilhante e um professor de excepção.

Júlio Henriques nasceu em 1838, em Cabeceiras de Basto, no distrito de Braga. Bacharel em Direito pela Universidade de Coimbra, licenciou-se mais tarde em Filosofia, pela mesma Universidade, onde também se veio a doutorar, em 1865. Na sua prestação pedagógica, destaco a regência de Botânica e Agricultura, duas áreas que então conviviam muito mais do que hoje. Nesta altura, sucederam-se os contributos estratégicos de Júlio Henriques, com destaque para o seu papel criativo em África e na direcção do Jardim Botânico.

Enquanto director do Jardim Botânico de Coimbra, Júlio Henriques não se cansou de inovar. O Jardim atravessava tempos difíceis desde Avelar Brotero, e Júlio Henriques estava determinado em qualificá-lo, procedendo a novas plantações e iniciando um forte intercâmbio com jardins botânicos do mundo inteiro. Restaurou as estufas e intensificou as permutas de plantas e sementes com os principais jardins botânicos de Portugal, da Europa e de outras partes do mundo, em especial com a Austrália.

É da sua inspiração a criação da biblioteca e de um Museu de Botânica; deve-se a Júlio Henriques a fundação da Sociedade Broteriana, em 1880, em homenagem a Avelar Brotero. Foi a primeira sociedade científica botânica em Portugal. Extraordinário foi também o seu contributo para a ciência. Doutorou-se em Filosofia, em 1865, com a dissertação “As espécies são mutáveis?”. Um momento de clarividência e arrojo, no que se pode considerar a primeira “incursão de Darwin” na Universidade Portuguesa. Um ano depois, Júlio Henriques apresentou a sua dissertação para o concurso de docente da Faculdade de Filosofia da Universidade de Coimbra, intitulada “Antiguidade do Homem”, onde reflecte de forma brilhante sobre a evolução da espécie humana, defendendo de forma decisiva o evolucionismo, contra a corrente de pensamento dominante.

A agricultura colonial mereceu a atenção particular de Júlio Henriques. No Jardim Botânico de Coimbra, estudaram-se e ensaiaram-se novas plantas com vista à valorização agrícola das colónias. Muitas espécies vegetais com interesse para a agricultura, foram enviadas das estufas do Jardim Botânico de Coimbra para Angola e São Tomé e Príncipe. Destaco a cultura da Quina; da sua casca extraia-se o quinino, produto usado para combater a malária, que, na época, dizimava populações em África. Do Jardim Botânico de Coimbra saíram sementes e plantas vivas, que eram enviadas para agricultores das colónias portuguesas, para o desenvolvimento desta cultura. O próprio Júlio Henriques se deslocou a S. Tomé para avaliar e promover o trabalho de investigação aplicada que aí se realizava. Tinha então 65 anos.

O Jardim Botânico e o Colégio de S. Bento, edifício adjacente, foram a sua vida e a sua casa. Júlio Henriques entrou como aluno interno no colégio de São Bento, e aqui lhe foi atribuído um quarto onde acabou por viver toda a sua vida. Jubilou-se em 1918, aos 80 anos, após quatro décadas na direcção do Jardim Botânico de Coimbra. Morreu dez anos depois, em Coimbra. Presto-lhe hoje, de forma muito simples mas sentida, a minha homenagem e a minha gratidão, por tudo o que fez pela Botânica, pelo Jardim Botânico e pela Universidade de Coimbra.

terça-feira, 11 de março de 2014

Documentário da semana: Grande Superficie (consumir até morrer)


Já tiveste a sensação de que , na tua vida diária , há sempre "algo" que te incentiva a comprar qualquer tipo de produto ou serviço, mas não precisas dele? Esta e outras questões serão respondidas neste magnífico documentário que nos mostra abertamente algumas das estratégias utilizadas pelas grandes marcas para criar em nós todas as falsas necessidades.

É um facto que vivemos numa sociedade absolutamente consumista , que é algo que temos assumido e, portanto, nós ignoramos . Mas, ocasionalmente , será sempre uma boa ideia parar e pensar sobre o que dirige as nossas vidas, as nossas necessidades e as nossas decisões , porque, embora as estratégias de publicidade e marketing pode parecer recursos puramente persuasivos , muitas vezes, determinam as nossas acções e decisões e, pior, a nossa percepção da realidade , criando falsas necessidades, tornando-nos fantoches sempre com a expectativa de ser inacessível.

"Grande Superfície " divulgado normalmente no formato de oito capítulos, estão reunidos aqui num só vídeo. Este é o documentário sobre a manipulação da publicidade comercial nas nossas vidas. Uma vez que estamos levando para  consumismo indiscriminado e um individualismo egoísta. Retrata ainda o verdadeiro poder de grandes produtos e serviços de empresas.

Com opiniões de especialistas que reflectem sobre o impacto do comércio sobre o nosso modo de vida, este documentário vai-nos ajudar a ter uma visão mais crítica do consumo.
Para saber ainda mais:
Consume Hasta Morir
Ecoagricultor

segunda-feira, 10 de março de 2014

"Exquisite Specimens" o mundo maravilhoso de Maria Sibylla Merian

Maria Sibylla Merian (Frankfurt am Main, 2 de Abril de 1647 - Amesterdão, 13 de Janeiro de 1717) foi uma naturalista alemã e ilustradora científica que estudou plantas e insectos e fez pinturas detalhadas sobre eles.
[bio mais detalhada aqui




sábado, 8 de março de 2014

sexta-feira, 7 de março de 2014

Estamos com escassez de água e de alimentos ?


Estamos com escassez de água?
-1 Porção de CARNE = Mais de 1200 litros de água utilizada
-1 Porção de frango = 300 galões de água utilizada
-1 Refeição vegana completa com TOFU, ARROZ e VEGETAIS = 98 litros de água utilizada

Estamos com escassez de alimentos?
CONSUMO de GRÃOS
  -Humanos - 48%
  -Pecuária - 36%
  -Biocombustíveis - 5%
  -Outros - 11%
CONSUMO de SOJA
  -Pecuária - 74%
  -Humanos - 26%

Quantas pessoas no mundo estão com fome?
-862.000.000 de pessoas em 2008
-Grãos que actualmente são usados para alimentar gado são suficientes para alimentar 2 biliões de pessoas.

quarta-feira, 5 de março de 2014

Documentário da Semana- Vale do Tua - Um ecossistema em perigo iminente



Neste documentário, o biólogo António Castelo e o realizador João Vasconcelos, da Associação Internacional para a Documentação da Natureza/AidNature, mostram espécies únicas que habitam o vale do Tua.

segunda-feira, 3 de março de 2014

Fotopoema da semana- Ar Livre


Ar livre

Ar livre, que não respiro!
Ou são pela asfixia?
Miséria de cobardia
Que não arromba a janela
Da sala onde a fantasia
Estiola e fica amarela!

Ar livre, digo-vos eu!
Ou estamos nalgum museu
De manequins de cartão?
Abaixo! E ninguém se importe!
Antes o caos que a morte…
De par em par, pois então?!

Ar livre! Correntes de ar
Por toda a casa empestada!
(vendavais na terra inteira,
A própria dor arejada,
-e nós nesta borralheira
De estufa calafetada!)

Ar livre! Que ninguém canta
Com a corda na garganta,
Tolhido da inspiração!
Ar livre, como se tem
Fora do ventre da mãe,
Desligado do cordão!

Ar livre, sem restrições!
Ou há pulmões,
Ou não há!
Fechem as outras riquezas,
Mas tenham fartas as mesas
Do ar que a vida nos dá!

Miguel Torga

domingo, 2 de março de 2014

These days

These Days_______THEse DAYs___THEsE DAYs______these days.



Ane Brun – These Days
There were summer days and nights
When I was blind to you
You were quiet and you were still
Even when the moon was full
My temporary state of lightness would scare me
After all, I was sure
You were most wrong then, I was daring

sábado, 1 de março de 2014

Mensagem de agradecimento dos parabéns ao décimo aniversário do blogue Bioterra


Mensagem de agradecimento dos parabéns ao décimo aniversário do blogue Bioterra
Recebi por vários meios e nas redes sociais o reconhecimento e simpatia pelo Projecto que iniciei em 2004 e votos de sucessos e permanência em escrever com regularidade o blogue de eleição por parte dos meus fãs. Assim o farei e o meu muito obrigado, contando sempre com o vosso apoio e companhia e comentários e partilhas.
Escolhi como presente o teledisco e tema de Sieben - "Written In Fire". 


Décimo aniversário do blogue Bioterra - Bioterra faz 10 anos de actividade hoje

Pintura de Ștefan Câlția [bio,Wiki]

A Eugénio de Andrade

Ainda aperto em mim as nuvens brancas
O ar quente das vestes do Sol
Por momentos não escolhi as leis da evolução
nem as leis do homem
apenas o menino que tu descobriste em mim
Nós vamos com as aves.

João Soares, autor do Bioterra (blogue e facebook) 9 de Janeiro de 2014