terça-feira, 30 de abril de 2013

Biofoto da semana- orquídeas macaco


Estas incríveis flores são orquídeas macaco. Há duas espécies mostradas aqui, Dracula simia (os que se parecem com rostos de macacos) e Orchis simia (que se assemelham a pequenos macacos dançantes). Dracula simia só são encontradas nas florestas da nuvem do sudeste do Equador em elevações de 1000 a 2000 metros e seu cheiro flores é semelhante a laranjas maduras. Em relação à Orchis simia são encontradas na Europa, Mediterrâneo, Rússia, Ásia Menor e Irão e as flores têm um cheiro forte de fezes!

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Reduzir e reutilizar- ideias decorativas

Foto: O que acha destas quatro sugestões para reutilização de embalagens de CDs e DVDs?
Porta-pulseiras, porta-sanduíches, mini-expositor e mini-cúpula para guarda de alimentos... usaria alguma delas?

O que acha destas quatro sugestões para reutilização de embalagens de CDs e DVDs? Porta-pulseiras, porta-sanduíches, mini-expositor e mini-cúpula para guarda de alimentos... usaria alguma delas?

domingo, 28 de abril de 2013

Musica da Via Lactea e do Universo


Filho e neto de pastores luteranos, não tinha ainda quatro anos de idade quando perdeu o seu pai.
O Livro Guinness de Recordes Mundiais lista George Philipp Telemann como um dos compositores mais prolíficos de todos os tempos, escreveu muito, tanto música sacra quanto música secular, incluindo óperas. Entre o seu catálogo se encontram 1.700 cantatas eclesiásticas, 27 Paixões, 6 oratórios, 17 missas, 9 óperas, canções, música instrumental, e muito mais. Como se não bastasse, escrevia ao estilo italiano, ao estilo francês (novo estilo), e ao estilo germânico, mais austero (velho estilo), do qual saíram compositores como Bach, Mozart, Beethoven e Brahms. Apesar de ser quatro anos mais velho que Bach e Haendel, foi um tanto mais ousado que estes, o que lhe gerou grande fama em toda a Europa de seu tempo, sendo assim mais famoso que seus contemporâneos na sua época. [toda a biografia aqui, em Alemão - muito mais detalhada- e aqui]

sábado, 27 de abril de 2013

Alguma chuva no meu coração....


Cavaco faz este mundo mesmo nojento. O meu amor contudo não emigrou. Estarei e amarei o meu país,com espírito libertário e uma Europa sem economês, amo o sol e o mar que banham ainda as terras lusas, a biodiversidade de Portugal e amo profundamente a democracia, aqui e em todo o Mundo em que ela não existe.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Especulação dos bens alimentares- uma questão de vida ou de morte






Os preços dos alimentos são uma questão de vida e morte para muitas pessoas no mundo em desenvolvimento. Este pequeno vídeo da Oxfam Alemanha apresenta sucintamente as consequências da especulação excessiva com produtos alimentares.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Documentário da semana: O Pintor e a Cidade (Manoel de Oliveira, 1956)

No dia 25 de Abril, resolvi homenagear a minha cidade, o Porto, com os olhares de Manoel de Oliveira e do pintor António Cruz.


Documentário sobre a cidade do Porto através das aguarelas do pintor António Cruz. O artista sai do seu atelier e percorre a cidade. As imagens reais alternam com as impressões estéticas que o artista vai registando nas suas aguarelas. Observações: Estreado em 1956 no São Luíz e no Alvalade, em Lisboa. Teve o aplauso unânime da crítica. Aplauso que se repetiu em Paris e em Veneza e que lhe valeu, em 1957, o primeiro prémio internacional da sua carreira, a Harpa de Ouro do Festival de Cork, na Irlanda. Recebeu, também, o Prémio SNI para a Melhor Fotografia.

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Paul McCartney "Se os matadouros tivessem paredes de vidro"



Na semana em que se deu a conhecer ao mundo o primeiro hamburguer-proveta, "capaz de combater a fome e reduzir as emissões de CO2", relembro este pequeno documentário. De matadouro para laboratório, sem dúvida que o hamburguer-in vitro não me faz demover os argumentos em manter-me vegetariano!

terça-feira, 23 de abril de 2013

Biofoto da semana- eucalipto arco-íris


Eucalyptus deglupta é uma árvore alta, vulgarmente conhecida como o eucalipto arco-íris, goma Mindanao, ou goma de arco-íris. É uma espécie de eucalipto somente encontradas naturalmente no Hemisfério Norte sub-tropical. Sua distribuição natural abrange Nova Bretanha, Nova Guiné, Ceram, Sulawesi e Mindanao. A casca multi-colorida é a característica mais marcante da árvore. Manchas de casca exterior são eliminados anualmente em diferentes momentos, mostrando uma casca verde brilhante interior. Porém escurece e amadurece para dar azul, roxo, laranja e tons de castanho, em seguida.

segunda-feira, 22 de abril de 2013

ArquitecturArte-Natural- Anche un misero arboscello


Feliz Dia da Terra

Anche un misero arboscello
di più grandi eccelse piante
par men bello
perché frondi in sen non ha.

Pur fecondo più di quelle,
che a noi sembrano sì belle,
suo vigor crescendo va.

Este vídeo apresenta paredes, interiores e telhados vivos, bem como três imagens finais ligados ao tema do vídeo. Incluído na montagem do vídeo: The Musée du quai Branly, Paris .Semiahmoo Library em Surrey, British Columbia .Jeff Koons' "Puppy", Guggenheim , Bilbao. .Edgware Road Tube stop, Londres .Athenaeum Hotel, Londres .Beijing National Stadium (also known as the "Bird's Nest") .Piano Violin House, Huainan, China .Traditional sod roofs, typical of the Faroe Islands . Museu Caixa Forum, Madrid .Nanyang Technical University, Singapura

domingo, 21 de abril de 2013

And Also The Trees- Uns autênticos cavalheiros das florestas e dos lagos mais fundos da Europa


Uns cavalheiros que passearam nas florestas e lagos mais fundos da Europa, no mais íntimo coração das penumbras comuns tocando-nos apaixonadamente!

sábado, 20 de abril de 2013

A todos


Aos meus alunos, rebeldes, ilustres por causas boas, a todos os sem papeis, a todos os sem casa, a todos os seropositivos, a todos os incapacitados, a todos os presos, a todos os doentes, a todos os ambientalistas, escritores...a todos.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Encontros improváveis- Emil Gilels, Chopin e a obra Javier Melloni

Precisamos de tempos de Síntese

"O olhar que chamamos oriental aceita que cada fenómeno contenha múltiplas perspectivas. Um bosque é visto de modo muito diferente por um lenhador, um excursionista, alguém que procure cogumelos, um caçador, um místico, um poeta ou um especulador de terrenos. O bosque é o mesmo, porém a percepção de cada um está radicalmente condicionada pela sua aproximação intencional e cognitiva. Não tem sentido discutir-se sobre quem tem razão. Todas as perspectivas são adequadas, mas nenhuma esgota as possibilidades do bosque, que contém ainda muitos mais ângulos de percepção, como são, entre outros, os da multidão de animais que vivem nele, para os quais o bosque adquire outras formas e significados”
 - Javier Melloni, Hacia un Tiempo de Síntesis, Barcelona, Fragmenta Editorial, 2011

quarta-feira, 17 de abril de 2013

terça-feira, 16 de abril de 2013

Biofoto da semana - orquídea helicoidal

Fotografia de Ricardo  PR
Orquídea Dendrobium Helix. De grande a tamanho gigante, de regiões tropicais, é epífita crescendo de Nova Guiné em ramos expostos de árvores de floresta da planície costeira em altitudes de até 150 metros do nível do mar. Forma grupos, inchados basalmente e afilando apicalmente. Amarelas, laranja nas hastes elevando-se muitos,folhas elípticas a ovais-elípticas que diminuem em tamanho para a ponta. Florações na maioria das épocas do ano.

domingo, 14 de abril de 2013

Planta bela, planta amada

Os jardins versus parques urbanos. Há (in)significâncias que nos fazem (re)sentir.



Pianta bella, pianta amata,
ove giace il bel che adoro,
sempre cara a me sarai.
Ti perdoni irato il cielo,
ti rispetti il nembo e il gelo
e 'l tuo bel non manchi mai.

Este vídeo mostra vários jardins italianos, incluindo Villa d'Este e Villa Adriana, Tivoli; Villa Lante, Bagnaia; Il Parco dei Mostri (Park of the Monsters), Bomarzo; Villa San Michele, Capri; Villa Farnese, Caprarola e Villa Borghese, Roma.

sábado, 13 de abril de 2013

Às vezes ouço passar o vento

"Às vezes ouço passar o vento; e só de ouvir o vento passar, vale a pena ter nascido".~ Fernando Pessoa.

Pode interessar ler
A resposta está no vento

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Economia Sagrada, por Charles Eisenstein



Ecologia sagrada. Estamos tão desfocados. O video está em inglês mas possui legendas em português, que precisam ser activadas e seleccionadas clicando no ícone junto aos controles do vídeo,"CC". 12 minutos. Uma revolução mental.
“Economia Sagrada” (Sacred Economy) é uma curta-metragem de 12min baseado no livro homónimo do filósofo e escritor americano Charles Eisenstein e protagonizado com ele, traça a história do dinheiro de economias antigas para o capitalismo moderno, revelando como o sistema monetário contribuiu para a alienação, competição e escassez, uma comunidade destruída, e exigiu o crescimento sem fim. Hoje, essas tendências chegaram ao seu extremo - mas, na esteira de seu colapso, podemos encontrar uma grande oportunidade de transição para uma forma mais conectada, ecológica e sustentável do ser.   “Temos que criar um milagre na Terra, algo que é impossível fazer com a velha compreensão de mundo, mas possível a partir de uma nova”, diz ele.
O director Ian Mackenzie é o autor do belíssimo vídeo “Occupy Movement: Show Me Your Face“, um manifesto emocionante vindo do movimento Occupy que pode ser visto no post OccupyLove em 3min, para os 100%: “Amor é o que aparece quando oferecemos nosso rosto ao outro e o filósofo Charles Eisenstein é o protagonista do vídeo “The Revolution is Love“, que pode ser visto no post A ascensão da humanidade, por Charles Eisenstein: a crise sistemática é o fim da infância humana na Terra
Já leram também "Bem estar animal - contributos"

quinta-feira, 11 de abril de 2013

O custo oculto dos hipermercados

Um texto simplesmente excelente lançando uma reflexão mais que pertinente sobre "O custo oculto dos hipermercados". Definitivamente "a ler" e a divulgar amplamente!
A abertura de um grande centro comercial, um supermercado… vem sempre associada à promessa de criação de emprego, dinamização da economia local, preços acessíveis e, definitivamente, ao progresso. Mas será esta a realidade? A distribuição comercial massiva sustenta-se numa série de mitos que, geralmente, a sua prática desmente. Artigo de Esther Vivas.
Artigo | 10 Fevereiro, 2013 - 11:52
Foto Alex Clark/Flickr
A Associação Nacional de Grandes Empresas de Distribuição (ANGED), a patronal da grande distribuição espanhola, que agrupa empresas como Alcampo, El Corte Inglês, FNAC, Carrefour, Ikea, Eroski, Leroy Merlin, entre outras, acaba de impor um novo e duro acordo aos seus 230 mil empregados. A partir de agora, trabalhar no domingo equivalerá a trabalhar num dia de semana, e aqueles que até o momento estavam isentos por motivos familiares, também terão que fazê-lo. Desse modo, fica ainda mais difícil conciliar a vida pessoal/familiar com a profissional, num setor onde a maioria dos trabalhadores é formada por mulheres. 

Além disso, aplica-se a regra de ouro do capital, trabalhar mais por menos: amplia-se a jornada de trabalho e diminui-se o salário. Da mesma forma, se as vendas caírem para abaixo do registado em 2010, os salários serão cortados em 5%. Chover no molhado num setor por si só já extremamente precário. A ANGED, por sua vez, considera que “o acordo reflete o esforço de empresas e trabalhadores para manter o emprego”. Mas que emprego? 
E agora Caprabo, propriedade de Eroski, anuncia que quer demitir 400 trabalhadores, não aplicar o aumento salarial pactuado e cortar em 20% os salários de parte dos seus funcionários. A culpada? A “previsível” queda nas vendas e a crise. No ano passado, curiosamente, a empresa anunciou que em 2011 os seus lucros haviam aumentado 12%. A santa crise “resgata” de novo a empresa. 
Nesse contexto, supermercados e criação de emprego parecem muito mais um paradoxo. São vários os estudos que observam como a abertura destes estabelecimentos implica, consequentemente, o encerramento de lojas e comércio locais e, portanto, a perda de postos de trabalho. Assim, desde os anos 80, e na medida em que a distribuição moderna se consolidava, o comércio tradicional sofria uma erosão constante e incontrolável chegando a ser hoje em dia quase residual. Se em 1998 existiam 95 mil lojas, em 2004 este número foi reduzido a 25 mil, segundo dados do Ministério da Agricultura, Alimentação e Meio Ambiente. 
E se o pequeno comércio diminui, o mesmo ocorre com a renda da comunidade, já que a compra numa loja de bairro repercute em maior medida na economia local do que a compra numa grande superfície. Segundo um estudo de Friends of the Earth (2005), na Grã Bretanha, 50% dos lucros do comércio em pequena escala retorna ao município, normalmente através da compra de produtos locais, salários dos trabalhadores e dinheiro gasto em outros negócios, enquanto que empresas da grande distribuição reinvestem apenas uns insignificantes 5%. 
Além disso, devemos perguntar-nosque tipo de emprego os supermercados, redes de desconto e hipermercados fomentam. A resposta é fácil: jornadas de trabalho flexíveis, contratos a tempo parcial, salários baixos e tarefas rotineiras e repetitivas. E o que acontece se alguém decide se organizar em um sindicato e lutar por seus direitos? Se o contrato de trabalho for precário, é melhor ir se despedindo do seu trabalho. Wal-Mart, o gigante do setor e a multinacional com o maior número de trabalhadores no mundo todo, é o exemplo por excelência. Seu slogan “Sempre preços baixos”, pode ser substituído por “Sempre salários baixos”. E não só isso, um estudo sobre o impacto do Wal-Mart no mercado de trabalho local, de 2007, concluía que por cada posto de trabalho criado pelo Wal-Mart, 1,4 postos de trabalho eram destruídos nos negócios preexistentes. 
Mas as consequências negativas da grande distribuição para os que participam da cadeia de produção, distribuição e consumo não acabam aqui. Desde os agricultores, que são os que mais perdem com as grandes superfícies, obrigados a acatar condições comerciais insustentáveis e que os condenam a desaparecer, até consumidores instados a comprar para além das suas necessidades produtos de má qualidade e não tão baratos quanto parecem, até um tecido económico local que se fragmenta e descompõe. Este é o paradigma de desenvolvimento que promovem os supermercados, de onde a grande maioria de nós sai perdendo enquanto uns poucos sempre ganham.


*Traduzido por Natália Mazotte, do Canal Ibase. Publicado em Altermundo.

*Sobre a autora:
Ativista e investigadora em movimentos sociais e políticas agrícolas e alimentares, autora de vários livros, entre os quais "Planeta Indignado", Esther Vivas. É membro do Centro de Estudos sobre Movimentos Sociais na Universidade Pompeu Fabra em Barcelona e no Instituto de Governo e Políticas Públicas da Universidade Autónoma de Barcelona. É também integrante da Izquierda Anticapitalista. www.esthervivas.com

terça-feira, 9 de abril de 2013

Telefones mesmo "inteligentes"?

Eco-Artigo da semana

Uma das maiores demagogias utilizadas nos últimos anos para fazer frente à "indústria do papel" em favor da "digitalização total" prende-se com questões ecológicas. Já todos lemos clichés como "jornalismo feito de árvores mortas". O que normalmente se evita é o outro lado da questão: Smartphones e Poluição Ambiental

segunda-feira, 8 de abril de 2013

EcoArte- A (polémica) Mensagem de Georgia Guidestones


O conjunto de monólitos Georgia Guidestones forma um monumento em granito localizado no Condado de Elbert, Geórgia, Estados Unidos e nele estão gravados dez frases em oito línguas modernas: inglês, espanhol, suaíli, hindu, hebreu, árabe, chinês e russo, e uma pequena mensagem, no topo, escrita em quatro antigas línguas: babilónio, sânscrito, grego e em hieróglifos egípcios.

A estrutura também é chamada de "American Stonehenge" (Stonehenge Americana). É composta por seis pedras de granito dispostas da seguinte forma: uma pedra no centro com quatro pedras ao redor, em posições verticais, além de uma pedra em cima das cinco, na posição horizontal. Estas placas de granito estão astronomicamente alinhadas. Em conjunto com esta estrutura, há uma placa (horizontalmente disposta no chão), também de granito, que fica a oeste deste monumento e tem o objectivo de fornecer algumas notas sobre a história e a finalidade das Pedras Guia (Guidestones). 

 Mensagem contida nas Pedras guia (em Português) 

1. Manter a humanidade abaixo de 500.000.000 em perpétuo equilíbrio com a natureza. 
2. Controlar a reprodução sabiamente - aperfeiçoando as condições físicas e a diversidade. 
3. Unir a humanidade com um novo idioma vigente. 
4. Controlar a paixão - fé - tradição - e todas as coisas com razão moderada. 
5. Proteger povos e nações com leis e tribunais justos. 
6. Permitir que todas as nações regulem-se internamente, resolvendo disputas externas num único tribunal mundial. 
7. Evitar leis insignificantes e governantes desnecessários. 
8. Equilibrar direitos pessoais com deveres sociais. 
9. Valorizar a verdade - beleza - amor – procurando a harmonia com o infinito. 
10. Não ser um cancro sobre a terra – deixar espaço para a natureza. 

Informação muito mais detalhada no wiki (inglês)

domingo, 7 de abril de 2013

Cartoon da semana- Nada mais cruel que a tourada


Cultura é tudo aquilo que contribui para tornar a humanidade mais sensível, mais inteligente e civilizada. A violência, o sangue, a crueldade, tudo o que humilha e desrespeita a vida jamais poderá ser considerado "arte" ou "cultura". A violência é a negação da inteligência. Uma sociedade justa não pode admitir actos eticamente reprováveis (mesmo que se sustem na tradição), cujas vítimas directas são milhares de animais. É degradante ver que nas praças de touros torturam-se bois e cavalos para proporcionar aberrantes prazeres a um animal que se diz racional. Portugal não se pode permitir continuar a prática do crime económico que é desperdiçar milhares de hectares de terra para manter as manadas de gado, dito bravo. A verdade é que são precisos dois hectares de terreno, o equivalente a dois campos de futebol, para criar em estado bravio cada boi destinado às touradas. Ora isto é tanto mais criminoso quando Portugal é obrigado a importar metade da alimentação que consome. Decerto os milhares de hectares desperdiçados a tentar manter bois em estado bravio, produziriam muito mais útil riqueza se aproveitados em produção agrícola, frutícola, etc. Uma minoria quer manter as touradas e as praças de touros, bárbara e sangrenta reminiscência das arenas da decadência do Império Romano. De facto nas arenas de hoje o crime é o mesmo: tortura, sangue, sofrimento e morte de seres vivos para divertimento das gentes das bancadas. Como pode continuar tamanha barbaridade como esta, das touradas, no século XXI? Só pode permanecer como tradição o que engrandece a humanidade e não os costumes aberrantes que a degradam e a embrutecem. 

Não seja responsável pela tortura. 
Não assista a touradas! [fonte: Liga Portuguesa dos Direitos do Animal]

sábado, 6 de abril de 2013

Encontros Improváveis- Paulo Neruda e House of Wolves- "Floow Me"



A minha luta é dura e regresso
por vezes com os olhos
cansados de terem visto
a terra que não muda,
mas quando o teu riso entra
sobe ao céu à minha procura
e abre-me todas as portas da vida.


[Pablo Neruda]

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Bicicleta de 4 homens por Art Rothschild

Quatro homens de bicicleta alimentada por cinco cadeias e com travões em todas as suas rodas. A  tetrabike foi construída por Art Rothschild (posição superior) que quebrou três costelas, enquanto aprender a montá-la. (LIFE magazine  em 27 de Dezenbro de 1948)



quinta-feira, 4 de abril de 2013

A sombra do Homem

A Sombra do Homem
...
Já de tanto sentir a Natureza,
De tanto a amar com ela me confundo!
E agora, quem sou eu? Nesta incerteza,
Chamo por mim. Quem me responde? O mundo.

Chamo por mim; e a estrela me responde.
Chamo, de novo; e diz o mar: quem chama?
E diz-me a flor: onde é que estás? Aonde?
Vede a sorte terrível de quem ama!

Teixeira de Pascoaes

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Lixo zero nos oceanos- veja o documentário


Este vídeo é sobre uma ilha no oceano a 2000 km de qualquer outra linha de costa. Ninguém vive lá, apenas pássaros. Não vai acreditar nos seus olhos! 

ESTE FILME deve ser visto por todo o mundo - Por favor, não faça lixo que prejudique os oceanos. Inacreditável, basta olhar para as consequências!

terça-feira, 2 de abril de 2013

Um sonho sonhado em conjunto... é uma realidade

"Um sonho que sonhas sozinho...é apenas um sonho. Um sonho sonhado em conjunto... é uma realidade"~ John Lennon


"... se não houvesse tristeza nem miséria, se em todo o lugar corressem águas sobre as pedras, se cantassem aves, a vida podia ser apenas estar sentado na erva, segurar um malmequer e não lhe arrancar as pétalas, por serem já sabidas as respostas, ou por serem estas de tão pouca importância, que descobri-las não valeria a vida duma flor." 
José Saramago in Memorial do Convento

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Quanto mais motivado pelo amor estiveres

Quanto mais motivado pelo amor estiveres, mais destemida e livre a tua acção será ~ Dalai Lama

PROUT é a sigla usada internacionalmente para designar a Teoria da Utilização Progressiva (Progressive Utilization Theory), uma filosofia socioeconómica elaborada por Prabhat Ranjan Sarkar, para promover o desenvolvimento físico, mental e espiritual dos seres humanos. 
O objectivo de PROUT é promover as orientações necessárias à implementação de uma sociedade humana verdadeiramente progressista. 
PROUT é uma proposta alternativa aos modelos socioecónomicos decadentes do capitalismo e do comunismo. Nenhum destes sistemas conseguiu promover o desenvolvimento físico, mental e espiritual da humanidade. 
PROUT procura o equilíbrio entre crescimento económico, desenvolvimento social e preservação do meio ambiente, considerando tanto os interesses individuais como os colectivos.
Combinando sabedoria espiritual, visão universalista e esforço pela emancipação económica de populações pobres, os proutistas (seguidores de PROUT) sedimentam uma nova proposta social e plantam as sementes de uma nova forma de viver. 
Mais informações em Proutugal