sexta-feira, 29 de fevereiro de 2008

Os Professores estão cansados de tantas normativas que não pediram.Exigimos respeito....todos na Marcha da Indignação 8 de Março

ASSIM NÃO SE PODE SER PROFESSOR
Permanentemente desrespeitado e desconsiderado pelos responsáveis do ME, entre outros governantes;
Sujeito a horários de trabalho pedagogicamente desadequados e que retiram qualidade ao desempenho dos docentes;
Com um ECD que desvaloriza os profissionais e a função docente e que urge ser renegociado;
Com uma avaliação dos professores que é burocrática, injusta e ofensiva dos profissionais e que deve ser urgentemente alterada;
Com o tratamento dado a docentes que deram o melhor de si à Educação e agora serão remetidos para supranumerários, como se de trapos velhos se tratassem;
Com a tremenda instabilidade em que vivem milhares de professores contratados, muitos outros milhares no desemprego e a quem, o ME, pretende retirar a qualidade de docente com o designado exame de ingresso a que os sujeitará.
Também no Ensino Superior, o problema da precariedade e do desemprego atinge proporções inéditas e extremamente preocupantes.

A ESCOLA PÚBLICA NÃO AGUENTA MAIS ESTA POLÍTICA
Que degrada as suas condições de trabalho e o seu funcionamento em resultado de uma cada vez maior desresponsabilização do Estado e de um crescente desinvestimento público;
Que aponta para a desvalorização do primado do pedagógico face ao administrativo, por via de um regime de direcção e gestão que reduz ao mínimo ou liquida espaços e princípios de participação democrática;
Que retira capacidade de resposta aos alunos com necessidades educativas especiais, ferindo de morte princípios essenciais da escola inclusiva; Que prevê privatizar o parque escolar do Secundário e entregar aos municípios todas as responsabilidades em relação à Educação Pré-Escolar e Ensino Básico;
Que já encerrou mais de 2.000 escolas e prevê encerrar, ainda, outras tantas;
Que transforma o que deveria ser uma escola a tempo inteiro, num conjunto de ofertas [prolongamento de horário, AEC's] sem qualidade nem regulação; que se prepara, para, em nome da poupança degradar a qualidade do ensino no 2º Ciclo do Ensino Básico;
Que empurra as Instituições de Ensino Superior Público para a privatização.

E também não se pode ser professor com tanta incompetência da equipa ministerial. "No que meteu as mãos, o ME criou confusão e embrulhada, sendo responsável por centenas, eventualmente milhares de processos em Tribunal", observou o secretário-geral da FENPROF, que apresentou de seguida alguns dos muitos exemplos possíveis:

- Foi o concurso de professores: apesar de, este ano, abranger poucos docentes foi uma confusão (portarias em férias, docentes do grupo 210, a colocação na Educação Especial de docentes sem formação).

- Foi o acesso a titular: com todas as confusões, irregularidades e ilegalidades cometidas.

- É a avaliação dos professores: mergulhada num mar de confusões e com orientações do ME que contrariam decisões do Tribunal.

É caso para dizer que esta equipa ministerial, no que deita a mão, estraga! Uma equipa e um Governo que, além disso, preferem o insulto à negociação, preferem a mentira à assunção dos problemas, preferem a demagogia à verdade!- frisou Mário Nogueira.

Esta Marcha da Indignação dos Professores surge como uma iniciativa da FENPROF. Contudo, a sua promoção não se encontra fechada. Convidamos todos os professores e educadores, convidamos todas as organizações que os representam para se juntarem e serem promotores: organizações sindicais, associações, movimentos, explicou Mário Nogueira, que definiu esta acção como prioridade do trabalho da FENPROF. Óscar Soares e Manuela Mendonça também falaram aos jornalistas, contribuindo para o esclarecimento de algumas questões colocadas no período de perguntas e respostas, no qual se reafirmou que a luta dos professores também tem em conta a qualidade do ensino, os alunos e toda a comunidade educativa.

Abaixo-assinado
em Março

Entretanto, vai também ser posto a circular, em Março, um abaixo-assinado de exigência de horários de trabalho pedagogicamente adequados. Simultaneamente, na net, vai circular uma carta para, individualmente, os docentes contratados e desempregados protestarem contra o designado exame de ingresso.

E depois? O que farão os professores no 3º período? - interrogaram os jornalistas. Nogueira esclareceu:
Sozinhos ou em convergência com outros sectores da Administração Pública ou mesmo do privado, essas serão as decisões a tomar pelo Conselho Nacional da FENPROF que reúne em 10 e 11 de Março. Ou o ME muda de atitude ou o 3º período, nas escolas, será tudo menos tranquilo. Ou o Governo muda de política e de medidas ou os professores tornar-lhe-ão muito difícil a vida no período que resta da Legislatura, assumindo a FENPROF, nessa luta, as responsabilidades que se exigem à organização sindical que é mais representativa! (Fonte:Fenprof)


Intervenções de Ana Drago na Assembleia da República (Vídeos):

Todo o sistema educativo entrou em convulsão

Avaliação não pode servir para combater o défice

Governo quer educação especial, mas baratinha!

Blogues de Educação (recomendo vivamente)

ProfAvaliação

Ramiro Marques

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Envolvimento Sustentável





1. Vídeo Poem_Arte_Natural, por João Soares

2. Envolvimento Sustentável - texto por António Alencar Sampaio

O discurso quando repetido várias vezes e por diversos atores tem o poder de ser aceito sem questionamento e confirmado com segurança pela simples questão de estar incluído na opinião da maioria, como é o caso dos discursos oficiais sobre desenvolvimento sustentável, globalização, privatização, modernização etc.
As palavras possuem sua força e sua permissão lógica. Quando nas diversas conferências internacionais foi e vem sendo questionado nossa forma de desenvolvimento, com argumentos técnicos, científicos, estava em verdade sendo colocado em nível de compreensão lógica e objetiva que essa forma de convivência da humanidade com o meio ambiente não é sustentável, pois esclarecia que o homem tinha assumido sua própria “cria” sub-natural para sobreviver no planeta, sendo que esse des-envolvimento em relação ao meio ambiente se compara ao filho que quer ser independente dos pais, mas ao mesmo tempo solicita o aluguel do apartamento, pagamento da escola e mesada para alimentação, mantendo-se des-envolvido dos laços e da responsabilidade familiar e envolvido somente com o dinheiro dos pais. A humanidade continua dependendo de todos os recursos naturais para a sua sobrevivência e mesmo com essa compreensão continua se des-envolvendo em vez de parar e reestruturar a sua caminhada na direção de um envolvimento sustentável com o meio ambiente, procurando não mais driblar a verdade descoberta com mentiras encobertas, justificadas com palavras que também são insustentáveis.
O prefixo des de desenvolvimento tem o mesmo sentido de desmoralizar, desumano, desligado, descascar, desnutrir, descaso, desafeto, desmatar, desavença, desautorizar, desatento, descontentamento, desconhecido e, finalmente, desmascarar esse conceito é observar que sem envolvimento seja em qual for a relação, ela só pesa para um lado e não considera outro.
Se envolver requer respeito, sensibilidade, compreensão, amizade, troca e afeto, é como o pai que, envolvido com a formação de seus filhos, todo amor, cumplicidade, ligação e empenho é sempre do presente para o futuro, digo, é presente com os olhos no futuro dos filhos. O envolvimento da humanidade com o meio ambiente não deve ser a ação do predador em função do seu presente, mas sim com maturidade e consciência ecológica agindo pelo futuro da Terra, das espécies e sua evolução.
Quando um projeto é apresentado em nome do desenvolvimento ele já se coloca acima de qualquer consideração, qual seja, ecológica, social e cultural, enquanto que se um projeto é apresentado em nome do envolvimento sustentável pressupõe que tem que ser considerado tudo que permeia naquele espaço é de comum acordo com os envolvidos, ecológica, social, cultural e economicamente.

3. Neste artigo, em pdf, põe em evidência algumas contradições do desenvolvimento sustentável e defende a construção de sociedades sustentáveis, através da Educação Ambiental.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

Leonardo Boff - É urgente rever os fundamentos

Um texto excelente e muito actual

A conjugação das várias crises, algumas conjunturais e outras sistêmicas, obriga a todos a trabalhar em duas frentes: uma intrasistêmica buscando soluções imediatas dos problemas para salvar vidas, garantir o trabalho e a produção e evitar o colapso. Outra transsistêmica, fazendo uma crítica rigorosa aos fundamentos teóricos que nos levaram ao atual caos e trabalhar sobre outros fundamentos que propiciem uma alternativa que permita, num outro nivel, a continuidade do projeto planetário humano.


Cada época histórica precisa de um mito que congregue pessoas, galvanize forças e confira novo rumo à história. O mito fundador da modernidade reside na razão, desde os gregos, o eixo estruturador da sociedade. Ela cria a ciência, transforma-a em técnica de intervenção na natureza e se propõe dominar todas as suas forças. Para isso, segundo Francis Bacon, o fundador de método científico, deve-se torturar a natureza até que entregue todos os seus segredos. Essa razão crê num progresso ilimitado e cria uma sociedade que se quer autônoma, de ordem e progresso. A razão suscitava a pretensão de tudo prever, tudo gerir, tudo controlar, tudo organizar e tudo criar. Ela ocupou todos os espaços. Enviou ao limbo outras formas de conhecimento.

Eis que, depois de mais de trezentos anos de exaltação da razão, assistimos a loucura da razão. Pois só uma razão enlouquecida organiza a sociedade na qual 20% da população mundial detém 80% de toda riqueza da Terra; as três pessoas mais ricas do mundo possuem ativos superiores à toda riqueza de 48 paises mais pobres onde vivem 600 milhões de pessoas; 257 indivíduos sozinhos acumulam mais riqueza do que 2,8 bilhões de pessoas, o equivalente a 45% da humanidade; no Brasil 5 mil famílias detém 46% da riqueza nacional. A insanidade da razão produtivista e consumista gerou o aquecimento global que trará desiquilíbrios já visíveis e a dizimação de milhares de espécies, inclusive a humana.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Arte de Michèle Sato + Portal das APA Brasileiras + Áreas Protegidas Internacionais


1.Albúm completo, clica em slideshow (são 89 diapositivos magníficos, plenos de tranquilidade, sedução e amor / entendimento profundo do Meio Ambiente)

2.Com o objectivo de reunir as informações sobre as Áreas de Protecção Ambiental (APA) brasileiras, bem como disponibilizar informações e documentos úteis à gestão desta categoria de Unidade de Conservação, já está no ar o Portal das APAs Brasileiras


3.Áreas Protegidas Internacionais
3.1. Temos a base de dados da UNEP
3.2 Na página web do CEIDA, na seccão Recursos Electrónicos do Centro de Documentación, encontrarão estes sítios e outros específicos de determinados países americanos, europeus e australianos, e mais informação sobre outros temas. Como verão, a informação aparece classificada por critério geográfico e temático para facilitar as buscas, e cada ligação contem um pequeno resumo que comenta o seu conteúdo (grato Verónica Pajón Jacobe, por seus esclarecimentos).


.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Revista Revolução - uma revista libertária


A Revolução é uma publicação trimestral bilingue publicada pelo Círculo de Revolucionários Livres (CRL), nome sob o qual se resguardam diversos indíviduos e organizações de esquerda patriótica anti-autoritária oriundos da Península Ibérica e da América Latina.

É uma publicação internacionalista, libertária e anti-capitalista. O seu propósito é fundamentalmente cultural e metapolítico e abrange a divulgação de alternativas políticas e movimentos culturais à margem do que podemos chamar de sistema capitalista ocidental.


domingo, 17 de fevereiro de 2008

A História das Coisas (Story of Stuff) + OGM e Pesticidas + Moínhos de Portugal + Hooseek

1.A História das Coisas (Story of Stuff) o filme e Story of Stuff, o blogue


Mais um filme que desperta consciências, alertando-nos por escolhas pessoais, colectivas e políticas que preservem os recursos naturais não renováveis e a saúde ambiental e ecologia total.

2.OGM e Pesticidas
Num comunidado da PTF alerta que o cultivo de transgénicos a nível mundial está a conduzir a um aumento massivo do consumo de pesticidas e só as empresas que os vendem podem lucrar com tal situação. Isto mesmo foi verificado num estudo agora disponível (aqui) que desmonta a realidade cor de rosa apresentada dia 13 de Fevereiro em Bruxelas pelo ISAAA, uma organização que representa os interesses globais da indústria da engenharia genética.(Ler mais no referidocomunicado)


3.Moínhos de Portugal
Um sítio muito bem feito, com vasta bibliografia e recolha de informações. Um património socioambiental a preservar e a revitalizar.


4.Hooseek- Motor de Busca Ecossolidário
Sediado em França, mas creio que poderá expandir-se internacionalmente.Por cada clique, as ONG associadas recebem 0.20 €.

sábado, 16 de fevereiro de 2008

Einstürzende Neubauten - Stella Maris





I dream that I meet you deep under
the deepest place of the Earth, Atlantic trench, seafloor

Between Nanga Parbat, K2 and Everest,
the roof of the world, there I'll give you a celebration
Where I can no longer see forward
If you come, I'll see you come from the edge of the world

There is nothing interesting here
Just the ruins of Atlantis

But no sign of you
I believe you come no more

We have passed each other in dream

You dream of me, I of you
Don't worry, I won't wake you
Before you wake yourself

Over the ice, directly to the North Pole, that's where I'll wait
I'll stay on the world's axis

From the Pacific Rim in hard dream-work to the Pole
will I hurry and wait again

The north star is directly over me

This is the pole, I was here
Only you can search far and wide until we see each other

I was at the wrong pole

We have passed each other in dream

You dream of me, I of you
Don't worry, I'll find you
Before you wake yourself

Please, please don't wake me
As long as I dream, you exist...

You dream of me, I of you
Don't worry, I won't wake you
Before you wake yourself

Let me sleep the year away on a ship
Course: El Dorado, Punt, that is your home town
I was on the coast, searching the horizon
until I finally see you, I'll sail there

But the captain is drunk
and mostly under the deck
Even in dream, I can't steer the ship
The clipper hits something, we take on water
We sink in the North Sea
An iceberg drives us down

I believe I am stranded
Punt remains unexplored

We have passed each other in dream

You dream of me, I of you
Don't worry, I won't wake you up
Before you wake yourself
You dream of me, I of you
Don't worry I'll find you
Halfway through this dream, I'll sieze you
and draw you to me
then you'll dream of me, I of you
I dream of you, you of me
We dream of each other until we wake




quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Parabéns Diana Carvalho - Aluna portuguesa vence prémio da UNESCO com vídeo sobre o planeta Terra

Filme baseado na série Ice Worlds da BBC, música Sigur Rós



Diana Carvalho, aluna da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em Vila Real, ganhou o prémio, em Portugal, para o concurso promovido pela Unesco cujo objectivo é celebrar o Ano Internacional do Planeta Terra.A aluna de 20 anos, finalista da licenciatura em Comunicação e Multimédia, vai receber a distinção na sede da Unesco, em Paris, na cerimónia de lançamento das celebrações, que decorrerá terça e quarta-feira.Segundo refere a Agência Lusa, Diana Carvalho candidatou-se ao concurso com a produção de um vídeo promocional onde procura, numa visão pluridisciplinar e inovadora, alertar a sociedade para as grandes preocupações com o Planeta Terra.
Constituído por duas partes, o filme mostra desenhos a preto e branco de uma cidade, com o objectivo de alertar para a poluição e a sujidade, seguindo-se uma segunda parte em que a aluna filmou o Douro, uma paisagem de cores vivas e fortes.O objectivo foi mostrar como, se cuidarmos do ambiente e o protegermos, a paisagem pode ficar bonita, afirmou a aluna.(SOL, dia 8 de Fevereiro).
O Jornal Público disponibilizou o vídeo de Diana Carvalho no seu sítio.Pode vê-lo aqui..
Pequena entrevista no Ciência Hoje, 11 de Fevereiro.

Sobre a Criosfera (Mundo Polar e Áreas Geladas do nosso Planeta):

1.Artigo sobre a viagem de jovens estudantes portugueses à Antárctida, no âmbito do Projecto Latitude 60!

2. Blogue da viagem

3. Dossier Público: Ano Polar Internacional

Sítio recomendado
The Global Outlook for Ice and Snow , da UNEP

terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

A Ilha das Flores, de Jorge Furtado - actualíssimo, 20 anos depois


Um ácido e divertido retrato da mecânica da sociedade de consumo. Acompanhando a trajectória de um simples tomate, desde a plantação até ser jogado fora, esta curta-metragem aborda o processo de geração de riqueza e as desigualdades que surgem no meio do caminho.

Prémios
Urso de Prata no Festival de Berlim 1990
Crítica e Público no Festival de Clermont-Ferrand 1991
Melhor Curta no Festival de Gramado 1989
Melhor Edição no Festival de Gramado 1989
Melhor Roteiro no Festival de Gramado 1989
da Crítica no Festival de Gramado 1989
do Público na Competição No Budget no Festival de Hamburgo 1991

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2008

Zeitgeist- o filme completo (1 h 58) agora legendado em Português




Em resposta aos comentários mais adversos,o filme é bastante controverso,por exigir uma nova perspectiva e desperta alguma incredulidade nos factos apresentados. Contudo não devemos descurar uma consulta mais profunda às fontes em que o realizador Peter Joseph se baseou e que ele próprio disponibiliza na página oficial do filme: Zeitgeistmovie
.

Zeitgeist é um termo alemão, que se traduz como espírito do tempo, também podendo se utilizar do termo em português para denominá-lo. O Zeitgeist significa, em suma, o nível de avanço intelectual e cultural do mundo,numa época.(consultar Wikipedia)
Contra todos os totalitarismos e medos e mentiras que nos querem impôr!!!

domingo, 3 de fevereiro de 2008

Do Desenvolvimento Económico

Peter Singer protagoniza na sua obra Um Só Mundo, um ideal muito bem fundamentado sobre uma interessante co-existência entre humanos num mundo de não-violência. Contudo, é preciso aclarar que na globalização existem seres humanos com vontade de impôr uma só via, uma só Ordem, governada por um Estado único, e dominando à força e à vigilância pós-industrial praticamente todos os restantes cidadãos do globo. Vários alertas tenho feito sobre estas redes: Bilderberg, Codex Alimentarius, etc.
Cavaco Silva vem distrair os Portugueses, afirmando que é a nova lei do divórcio o culpado do maior aumento da pobreza em Portugal. E em relação ao Freeport (assunto também lesivo do património ambiental do País) afirma que é assunto de Estado(?).
Como muito bem refere o Kaos o Cavaco Silva, como todos os que têm governado, foram arautos, executores e são agora guardiões do sistema capitalista global. Não esqueçamos disso.
A crise é um logro. O povo tem que se lembrar que esses Senhores dependem do nosso voto e do nosso trabalho e devem um enorme respeito pelo meio ambiente.
Mais duas duras provas da chamada Nova Ordem Mundial.


Discurso Bush pai em 11 de Setembro de 1991

President Of The CFR, Richard N Haass Can't Remember Year Of 9-11-2001


Change? Obama Inner Circle Filled With Bilderbergers
Alguns são secretários da CFR, onde Richard N Haass é o Presidente!


sábado, 2 de fevereiro de 2008

COLECIONA – Fichário d@ Educador Ambiental




O COLECIONA-Fichário d@ Educador Ambiental, trata-se de um material, a princípio eletrônico e bimestral, especializado em informações sobre Educação Ambiental e Educomunicação, que poderá ser consultado gratuitamente no sítio do DEA/MMA-Departamento de Educação Ambiental do Brasil- e disponível em formato pdf. A cada dois meses, as pessoas cadastradas receberão electronicamente em seus e-mails os textos actualizados. A partir do momento que recebe o primeiro número sinta-se cadastrado para os próximos.

(mensagem de Maria Inês Cestaro Jorge, Departamento de Educação Ambiental (SAIC,DEA/MMA)
No Volume 1– Ano 1– Julho/ Agosto de 2008, 76 pp, 2,18 MB (clica aqui para aceder) saliento os artigos sobre os Colectivos Educadores (29-38) e os Viveiros Educadores: Plantando Vida (39-42)