sexta-feira, 28 de abril de 2006

BiblioTerra- A minha prenda a todos os que me visitam....Biblitotecas de todo o mundo!

ATENÇÃO © Copyleft - É permitida a partilha do dossiê exclusivamente para fins não comerciais e desde que o autor e o BioTerra sejam citados.
Vieira da Silva- Biblioteca em Chamas

Não esqueças de visitar regularmente este espaço para manteres-te actualizado

Partilhar livros e flores é prolongar uma longa cadeia de alegria e cultura, de saber e paixão. E das casas mais fantásticas  que eu conheço são sempre as bibliotecas: de livros, de confidências, de estudo, de história, de património, de democracia, de universidade, de auto-conhecimento, de magia, de sonhos...

Entretanto modernizaram-se e quase todas digitalizaram-se e estão no ciberespaço. Desde 2009 que a Unesco disponibiliza a Biblioteca Digital Mundial, através do site World Digital Library.

Biblioteca Digital Paulo Freire - Com dezenas de vídeos de palestras do excelente pedagogo Paulo Freire, além de que pode conhecer e visitar a sua Fundação on-line.Biblioteca Nacional Portuguesa
Museu da Língua Portuguesa-o único Museu no Mundo sobre a história de um Idioma
Biblioteca Nacional Argentina-biblioteca,fototeca e mapoteca
Gallica - Bibliothèque Numérique - volumes da Biblioteca Nacional da França digitalizados
Human Rigghts Library - mais de 14 mil documentos relacionados com os direitos humanos
IDRC Library - textos e imagens desse centro de estudos do desenvolvimento internacional
Internet Ancient History Sourcebook - página dedicada à difusão de documentos da Antiguidade
Internet Archive - guarda páginas da internet em seus diversos estágios de evolução
Internet Public Library- indica páginas em que se podem ler documentos sobre áreas específicas do conhecimento
John F. Kennedy Library- sobre o presidente americano John F. Kennedy,morto em 1963
LibDex-índice para localizar mais de 18 mil bibliotecas do mundo todo e seus sites
Lib-web-cats - enumera bibliotecas de mais de 130 países, mas o foco são os EUA e o Canadá
Libweb-outro site de busca de instituições, com 6.600 links de 115 países
Mosteiro São Geraldo-livros e periódicos sobre história e literatura húngara, filosofia, teologia e religião
National Library of Australia -divulga periódicos australianos desde a década de 1840
 Oxford Digital Library - centraliza acesso a projetos digitais das bibliotecas da Universidade de Oxford Perseus Digital Library - dedicado a estudos sobre os gregos e romanos antigos
Servei de Biblioteques - bibliotecas da Universidade Autónoma de Barcelona
The Aerial Reconnaissance Archives - recém-lançado, site promete divulgar 5 milhões de fotos aéreas da Segunda Guerra Mundial
The British Library - além de busca no catálogo, tem colecções virtuais separadas por região geográfica
The Digital Library- diversas colecções temáticas, como a de escritoras negras americanas do século XIX
The Digital South Asia Library - periódicos, fotos e estatísticas que contam a história do Sul da Ásia
The Huntington - grande quantidade de obras raras em arte e botânica
The Math Forum- textos que se propõem a auxiliar no ensino da matemática
New Zealand Digital Library- destaque para os arquivos sobre questões humanitárias
Treasures of Keyo University - um dos destaques é a reprodução da Bíblia de Gutenberg
UK Higher Education and Research Libraries
Unesco Libraries Portal- informações sobre bibliotecas e projectos voltados para a preservação da memória UOL Biblioteca - dicionários, guias de turismo e especiais noticiosos
UT Library Online - possui uma ampla colecção de mapas
Alexandria Virtual - acervo variado, de literatura a humor
Bartleby- importantes textos, como os 70 volumes da Harvard Classics e a obra completa de Shakespeare Bibliomania- 2.000 textos clássicos e guias de estudo em inglês
Biblioteca dei Classici Italiani- literatura italiana, dos duecento aos novecento
Biblioteca Electrónica Cristiana - teologia e humanidades vistas por religiosos
Biblioteca Virtual do Estudante Brasileiro- especializada em literatura em língua portuguesa
Biblioteca Virtual - Literatura - pretende reunir grandes obras literárias
Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes - cultura hispano-americana
Biblioteca Virtual Universal - textos infanto-juvenis, literários e técnicos
Biblioteca Apostólica Vaticana - biblioteca que possui um arquivo secreto
Biblioteca Central - localize os livros das bibliotecas da UFRGS
Biblioteca del Congreso - item Expo Virtual mostra alguns tesouros dessa biblioteca argentina
Biblioteca Digital Andina - Bolívia, Colômbia, Equador e Peru estão representados
Biblioteca Digital de Obras Raras- livros completos digitalizados, como um de Lavoisier editado no século XIX
Biblioteca do Hospital do Câncer- índice desse acervo especializado em oncologia
Biblioteca do Senado Federal -sistema de busca nos 150 mil títulos da biblioteca
Biblioteca de Espanha- entre as exposições virtuais, uma interessante colecção cartográfica do século XVI ao XIX
Biblioteca Nacional de Maestros - biblioteca argentina voltada para a comunidade educativa
Biblioteca Nacional del Perú - alguns livros electrónicos, mapas e imagens
Biblioteca Nazionale Centrale di Roma- expõe detalhes de obras antigas de seu catálogo
Biblioteca Romena- textos em romeno e dados sobre autores do país
Biblioteca Virtual Galega - textos em língua galega
Bibliotheca Alexandrina - conheça a instituição criada à sombra da famosa biblioteca, que desapareceu há mais de 1.600 anos
California Digital Library - imagens e e-livros oferecidos pela Universidade da Califórnia
Celtic Digital Library - história e literatura celtas
Círculo Psicanalítico de Minas Gerais- acervo especializado em psicanálise
Cornell Library Digital Collections- compilações variadas, sobre agricultura e matemática, por exemplo
Corpus of Electronic Texts - história, literatura e política irlandesas
Contos Completos de Machado de Assis - mais de 200 contos de Machado de Assis
Crime Library -histórias reais de criminosos, espiões e terroristas
Cultvox- serviço que oferece alguns e-livros gratuitamente e vende outros
Dear Reader- clube virtual que envia por e-mail trechos de livros
Ebook Brasil -livros eletrónicos gratuitos em diversos formatos
Novo Igler- acesso rápido a duas centenas de obras literárias em português
International Children's Digital Library- pretende oferecer e-livros infantis em cem línguas
IntraText -textos completos em diversas línguas, entre elas o latim
Jornal da Poesia - importante acervo de poesia em língua portuguesa, com textos de mais de 3.000 autores
Europeana
Sakespeare 400

Dossiers Bioterra relacionados
Dossier Bibiliotecas, Escritores Portugueses e Internacionais

E para maior conhecimento da História da Terra e Biodiversidade

Biodiversity Heritage Library
Geo Science World- O mais vasto e completo arquivo actualizado online de artigos, revistas e publicações em Geologia.

NOVA ATENÇÃO COPYRIGHT-  Ao partilhar, agradeço atempadamente a indicação do meu blogue Bioterra. Estes dossiês resultam de um apurado trabalho de pesquisa, selecção de qualidade e organização. Obrigado.

quinta-feira, 27 de abril de 2006

BLÁTELEBLÁ (como diz António Tabuchi) ou Semana da TV Desligada propõe nova ecologia mental

Segue-se o mais importante Manifesto referente ao movimento TV-Turnoff Network. Um documento de LIBERDADE.
E FELIZES DIAS DE ABRIL!!!

Carta à Mídia
Conheça a mídia. Mude a mídia. Seja a mídia.

Nós, os signatários, estamos preocupados com a maneira pela qual a informação flui e pela forma em que os significados são produzidos em nossa sociedade.

NÓS PERDEMOS CONFIANÇA no que estamos vendo, ouvindo e lendo: muito entretenimento e pouca informação; muitos veículos dizendo as mesmas histórias; muito mercantilismo e muito marketing. Todo dia, esse sistema comercial de informação distorce nossa visão de mundo.

NÓS PERDEMOS A FÉ nas instituições da mídia de massa. Um punhado de corporações hoje controlam mais da metade das redes de informação ao redor do planeta. Em uma era em que pessoas pelo mundo encaram a fome, os distúrbios sociais, a guerra e os colapsos ecológicos, apenas aqueles que impõem as regras do jogo ou estão dispostos a pagar milhões de dólares estão conseguindo difundir suas mensagens.

NÓS PERDEMOS A ESPERANÇA que as agências nacionais reguladoras de mídia vão agir pelo interesse público. Regulamentações essenciais limitando propriedade e concentração das mídias estão sendo abandonadas, enquanto regras protegendo acesso e conteúdos locais são diluídos.

NÓS PERDEMOS A PACIÊNCIA esperando por reforma.

NÓS IMAGINAMOS UM SISTEMA DIFERENTE — uma democracia midiática. Nós vemos grandes promessas nas comunicações abertas da Internet e queremos que essa abertura seja expandida para todas as formas de mídia. Nós vislumbramos um sistema global de comunicações que tem em seus fundamentos a participação direta e democrática dos cidadãos. Para este fim, nós exigimos a gradual transferência de recursos chaves da mídia de volta ao povo.

Para começar, nós exigimos o direito de comprar tempo publicitário em rádios e televisões sob as mesmas regras e condições das agências publicitárias. Nós sugerimos às agências reguladoras da mídia que estabeleçam dois minutos para cada hora de programação para a veiculação de mensagens voltadas à cidadania. Nós queremos que as seis maiores corporações de mídia no planeta sejam desmembradas em unidades menores.

O que afinal buscamos é um novo direito humano para a nossa era da informação, um direito que intercale a liberdade de expressão com o direito de acesso às mídias. Este novo direito humano é: O Direito de Comunicar-se.

PELA PRESENTE LANÇAMOS UM MOVIMENTO para sacralizar o Direito de Comunicar-se nas constituições de todas as nações livres e na Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Tradução:
André Azevedo da Fonseca

Para subscrever a Carta à Media (Media Carta), assinar e divulgar clique aqui, no site da AdBusters

Mais leituras e campanha em Portugal SEMANA SEM TV 2006 - SSTV 2006 , consultar a Associação GAIA

quarta-feira, 26 de abril de 2006

CHERNOBYL 20 anos depois

A Nuvem Radioactiva...



The distribution of Iodine-131 from the Chernobyl nuclear accident. The figure depicts the radioactivity field in Bq/kg at 850 mb. level on 00 UST, May 12, 1986, approximately 384 hours after the reactor explosion (the further details are discussed by Pudykiewicz, 1989)

Novo estudo do Greenpeace revela que número de mortes por cancro de Chernobyl pode chegar a 93 mil. Leia na íntegra do relatório em inglês.

Mais informações e campanhas da Greenpeace aqui

A Esperança... Elejo dois projectos:

O IPATIMUP, Porto


Excelente Trabalho desta instituição e no entanto não há recuo no número de casos de cancro da tiróide. Ler a notícia de 24/04 no JN: Múltiplos efeitos de um acidente hediondo

Cique na imagem e conheça esta Iniciativa!


Em 1982, Portugal cantava....

NUCLEAR NÃO, OBRIGADO


Ó papão mau vai-te embora
lá de cima do telhado
Deixa dormir o menino
um soninho descansado

Deixa de ficar à espreita
com vontade de assombrar
Os que vivem nesta terra
com o pesadelo nuclear

No olhar de uma criança
pode ver-se a luz do mundo
Não lhe vamos deixar como herança
um planeta moribundo

Nuclear não, obrigado
Antes ser activo hoje
do que radioactivo amanhã
Nuclear não, obrigado

Se queremos energia
sem envenenar o ar
Temos o calor do sol
o vento e a força do mar

Lena D´Água,1982

Ouça aqui o tema (mp3)

Letra de Luís Pedro Fonseca, Música de Carlos Fortuna, Álbum Perto de ti


Contra o esquecimento .Pela eficiência energética e racionalização da energia. Hoje na sede da Campo Aberto:CHERNOBIL VINTE ANOS DEPOIS.Na mesma sessão, o Escritor Mariano Calado fará uma apresentação do seu livro A MALDIÇÃO DAS BRUXAS DE FERREL, recentemente editado pelas Edições Sempre-em-Pé por ocasião da comemoração Ferrel 30 Anos. Segundo o editor,trata-se de um romance-realidade, tecido entre ficção e história fidedigna,com alusões aos tempos da Inquisição, no qual se narra a revolta do povo de Ferrel, concelho de Peniche, em 1976, contra a ameaça de instalação de uma central nuclear - questão de novo actual, no contexto de antigos e novos dilemas energéticos.

MAIS LEITURAS

20 ANOS DE CHERNOBIL - QUERCUS EXPÕE: OS CUSTOS OCULTOS DA ENERGIA NUCLEAR

A Campo Aberto, Gaia e Quercus – ANCN , fazem parte da Plataforma Não ao Nuclear. Esta Plataforma é constituída por outras organizações não governamentais, movimentos sociais e cidadãos em nome individual, podendo a adesão à mesma ser efectuada através de correio electrónico para o endereço - geral@naoaonuclear.org

terça-feira, 25 de abril de 2006

25 de Abril- Recorda-o não só nos dias de festa


Norberto Isaac foi apanhado em flagrante a distribuir propaganda que apelava à deserção da Guerra Colonial. Foi preso em Fevereiro de 1974. Foi torturado durante dois meses, até ser libertado a 26 de Abril. Uma das muitas histórias da resistência anti-fascista. Para que a memória não se apague.

segunda-feira, 24 de abril de 2006

Campo Aberto: Livro-Reflectir o Porto e Região Metropolitana

Livro do mês:
Campo Aberto: Livro-Reflectir o Porto e Região Metropolitana
Apresentado ao público no dia 21 de Abril este livro condensa os textos mais significativos produzidos pela Campo Aberto, tanto isoladamente como em conjunto com outras associações, designadamente da Plataforma Convergir.
Parabens e força!

sábado, 22 de abril de 2006

A-Ver-A-Terra


Foto de Joe Bellantoni, retirada de PhotoBlink


Prémios Campeões da Terra
Já foram nomeados 7 personalidades verdes para receberem os prémios Campeões da Terra, atribuídos pela UNEP em 21 de Abril: Rosa Elena Simeon Negrin (a título póstumo), Women’s Environment and Development Organization (WEDO), Tewolde Gebre Egziabher, Massoumeh Ebtekar, Mohamed El-Ashry, Tommy Koh Thong Bee e Mikhail Gorbachev



Agricultor australiano vence prémio
Robert Quirk, há 4 anos agricultor no Tweed Valey, recebeu a McKell Medal pela excelência da sua gestão de recursos naturais, reduzindo o uso de químicos e aumentando a produtividade.



Brasileiro premiado mundialmente por defender a preservação da Amazónia
Carlos Alberto Ricardo recebe o prémio Goldman Environmental Prize pela criação do maior mosaico de áreas Protegidas de Floresta Tropical do mundo.
O prémio de 125 mil dólares é concedido anualmente desde 1990 a seis líderes sociais envolvidos na luta em prol da preservação do Danúbio, do armazenamento seguro do lixo produzido por armas químicas, da defesa das florestas da Libéria, do fim do corte ilegal de madeira em Papua Nova Guiné e do respeito social durante a construção de barragens na China. A cerimónia oficial de entrega dos prémios decorrerá em Washington, em 24 de Abril.



Teses
Sobre Educação ambiental e paradigmas de interpretação da realidade de Marilia Menezes Freitas de Campos e outra sobre Valoração de recursos ambientais de Alexandre Gori Maia. Muitas mais aqui.Via Jubal Cabral


Livros Fundamentais
Plan B 2.0: Rescuing a Planet Under Stress and a Civilization in Trouble (New York: W.W. Norton & Company, 2006), de Lester Brown (leiam atentamente esta entrevista e dois capítulos do seu livro no Earth Policy)


* * * FELIZ DIA DA TERRA * * *
Enviem E-Postais aos vossos amigos|Send E-cards to your friends Happy Earthday

sexta-feira, 21 de abril de 2006

A Flor da Permacultura e Cultura de Transição


Clica na foto para ampliar


Os 7 Campos do Conhecimento da Permacultura de David Holmgren* (texto em Brasileiro)



1 – Manejo da Terra e da Natureza

Jardinagem bio-intensiva - Uso do composto, cavação dupla, plantas companheiras e controle natural de pestes para produzir o máximo de comida numa área mínima.

Jardinagem Florestal - Produção de alimento com árvores, plantas perenes e anuais em um sistema que imita a floresta natural.

Salvando Sementes – Banco de Sementes - Coletando e armazenando sementes, com alvo freqüente de manter certas linhagens.

Agricultura Orgânica vs agricultura comercial que usa fertilizantes e métodos de controle de pestes naturais.

Biodinâmica - Um sistema de agricultura orgânica e jardinagem baseada no trabalho de Rudolf Steiner.

Plantio Natural - Um sistema japonês de agricultura orgânica envolvendo o mínimo ou nenhum uso de maquinário e manejo animal, muito notavelmente associado com Masanobu Fukuoka.

Linha chave para coleta de água - Um sistema de análise de paisagem, que capta água e desenvolve solos usando represas, canais, arando e condicionando o solo, desenvolvido por P.A. Yeomans

Manejo Holístico de Campos - Um sistema que usa rotação pastoril de gado intensiva para o manejo sustentável da terra, provendo a criação de animais, desenvolvido e ensinado por Allen Savory.

Plantio em Seqüencia Natural- Um sistema de gabiões, revegetação e valas de infiltração para restaurar a saúde e a produtividade de planícies alagadiças, desenvolvida por Peter Andrews.

Agrofloresta- Produção integrada de pasto e/ou roça com madeira e/ou árvores de corte.

Floresta baseada na natureza - Floresta sustentável que usa espécies mistas, rotações longas, coleta de mínimo impacto e regeneração natural em florestas selvagens ou plantadas.

Aquacultura Integrada- Sistemas aquáticos que provêem a maior parte da alimentação para criação de peixes e/ou outros animais.

Coleta e Caça Selvagem- Coleta de comida e outros rendimentos de plantas e animais selvagens

Gleaning – Recoletando- Coleta de comida desperdiçada por sistemas comerciais de produção e distribuição.


2- Construção


Planejamento Solar Passivo - Sombreamento e iluminação orientados pelo sol, massa térmica, ventilação passiva.

Materiais de Construção Naturais - Terra, palha, reboco com esterco, toras de madeiras, pedras.

Coleta e Reuso da Água - Tanques de água (cisternas), banheiros compostáveis e filtros biológicos

Bioarquitetura - A manipulação da forma das árvores crescerem para criar estruturas e construções.

Construções de abrigos na terra - “Casas-nave” e outros projetos construídos para dentro do solo.

Construções resistentes a desastres naturais - Queimadas, ventos, inundações, terremotos.

Construção pelo Proprietário - Empoderamento e autonomia financeira dos moradores e comunidades na construção de suas próprias casas usando tecnologias e materiais acessíveis.

Linguagem dos Padrões - Teoria e ferramentas de design orgânico de Christopher Alexander


3- Ferramentas e Tecnologias


Reuso e Reciclagem Criativa- Reuso de materiais de forma artesanal, descentralizada e específica para o contexto, ao invés de processos industriais centralizados.

Ferramentas Manuais- Recuperação e manutenção de ferramentas e habilidades tradicionais

Bicicletas e Motocicletas Elétricas - Energia humana e transporte assistido que aumenta a eficiência do corpo humano.

Fogão de lenha eficiente e de baixa poluição - Forno e outros fogões desenhados usando materiais locais e construção simples

Combustíveis de restos orgânicos - Bio-diesel, metanol, biogás e gás de madeira para queima, eletricidade e transporte local.

Gaseificação de Madeira- Combustíveis de carbono neutro eficientes para energia elétrica local e veículos de transporte

Bio-char de rejeitos florestais- Formação de solo e captura progressiva de carbono

Co-geração -Uso de combustível para gerar eletricidade e prover calor para usar no sítio.

Micro-hydro e Vento em pequena escala - Tecnologias renováveis simples e uso da força da gravidade para transporte local.

Cerca elétrica de geração de energia renovável - O uso de cerca elétrica com uma “bateria” para geração de energia local.

Armazenagem de energia - Bancos quentes, bombas para rega (água), ar comprimido e outras armazenagens temporárias simples de energia.

Engenharia de Transição - Recolocação para manutenção, retroajuste e replanejamento da tecnologia e da infra-estrutura.


4 – Educação e Cultura


Educação em Casa - Pais como professores naturais das crianças dentro da economia da casa.

Educação Waldorf - Escolas baseadas nos métodos educacionais de Rudolf Steiner.

Arte e Música participativa- Requerer nosso lugar como atores e músicos em vez de espectadores.

Ecologia social - Filosofia focada no replanejamento da sociedade usando princípios da ecologia.

Pesquisa-Ação - Um processo reflexivo de resolução progressiva de problemas que aceita o observador como parte do sistema que está sendo estudado.

Cultura de transição - Uma exploração evolutiva da cabeça, coração e mão no declínio da energia.


5 – Bem Estar Físico e Espiritual


Parto em casa e Aleitamento materno - Requerendo o nascimento e a nutrição infantil como parte da economia da natureza e doméstica.

Medicina Complementar e Holística - Um espectro amplo de se apropriar dos cuidados com a saúde fora da medicina alopática convencional.

Yoga, Tai Chi, Capoeira e outras disciplinas de corpo/mente/espírito - A manutenção da saúde através de exercícios planejados regulares baseados em tradições orientais.

Espírito do lugar, renascimento cultural indígena - Reconexão com valores espirituais e culturais de lugar e “País”.

Morte Digna - Movimento para requerer a morte fora da medicina institucionalizada.


6– Economia e Finanças


Moeda local e regional - Interesse em sistemas livres de dinheiro que serve um definido e limitado território.

Rodovias específicas para carros cheios, carona e compartilhar o carro - Reconstrução da comunidade através do uso mais eficiente de carros e rodovias existentes.

Investimento Ético e Comércio Justo - Usando o poder de investimento e consumo para orientar economias equitativas.

Mercados dos Produtores e Agricultura Apoiada na Comunidade (AAC) - Conexão direta entre produtores e consumidores sem intermediário.

WWOOFing e Redes similares - Intercâmbio de trabalho voluntário por comida, acomodação e experiência de vida ecológica.

Cotas de Energia Cambiável - Uma moeda paralela para permitir um comércio e uma distribuição equitativa do direito de consumir e poluir.

Análise do Ciclo da Vida e Contabilidade Emergética - Método holístico para avaliar os custos e benefícios totais de tecnologias e economias novas e existentes.


7 – Posse da Terra e Governo Comunitário


Cooperativas e Associações comunitárias - Estruturas legais para compartilhar coletivamente a administração e a propriedade da terra, das construções e outros bens.

Ecovilas e Co-habitações - Comunidades ecologicamente desenhadas onde juntos os residentes se organizam e dividem uma certa propriedade.

Tecnologia para espaço aberto e Tomada de Decisão por Consenso - Ferramentas colaborativas para compartilhar o conhecimento e atingir decisões.

Título Nativo e Direito tradicional de uso -Maneiras tradicionais não exclusivos, reconhecidos por lei do uso da terra e recursos.

*Extraido do Livro "Permaculture - Principles and Pathways beyond the Sustainability" - David Holmgren

Traduzido por Coletivo Serra do Mar

quinta-feira, 20 de abril de 2006

Carta das Juventudes Ibero-Americanas

Já é um documento histórico, resultante do V CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL ,e que vai ficar gravado e perpetuado em todos os estudos referentes à Educação Ambiental.
É um TEXTO com MUITA Força.....mas mesmo MESMO é ESTA a geração...


~~~~ PARA A FRENTE ~~~~

como águias do alto...imperiais e nobres....
como borboletas, agitando cores e danças....
como escaravelhos mexendo tenazmente os terrenos duros com cheiro a pão...e como morcegos, companheiros das cavernas e das arenas da LUZ.

~~~~~~~ VOANDO ~~~~~~
João Soares, 18/04/06



Carta das Juventudes Ibero-Americanas- leia, conserve e ponha-a em prática.

quarta-feira, 19 de abril de 2006

Dossiê Biomonitorização

ATENÇÃO © Copyleft - Permito a livre  reprodução exclusivamente para fins não comerciais e desde que o autor e o BioTerra sejam citados

Líquenes


Nem sempre é popular gostar dos líquenes. Por vezes estão por todo o lado e nem nos preocupamos o que vemos à nossa frente: um emaranhado frutificado ou mais uma incrustação nas rochas. Contudo são seres vivos, muito antigos e dos mais eficazes que existem.
Não parece ter grande pressa em crescer. Pode demorar um século até que um líquen atinja as dimensões de um botão de camisa.
Erradamente catalogados como plantas que brotavam espontâneamente das pedras, hoje em dia sabe-se que são uma sociedade entre fungos e algas. Os fungos segregam ácidos que dissolvem a superfície da pedra, libertando minerais que as algas transformam em nutrientes em quantidades suficientes para sustentar ambos.
Nesse âmbito elaborei este Dossiê, com vista a melhor conhecermos e cuidarmos de tão importantes agricultores naturais e outros seres vivos que permitem uma avaliação biológica da qualidade de uma ecossistema.


Não esqueças de visitar regularmente este espaço para manteres-te actualizado!

Sítios
The International Cooperative Programme on Effects of Air Pollution on Natural Vegetation and Crops
World Water Monitoring

Textos em Português
Os Líquenes como biomonitores de poluição atmosférica - o projecto SinesBioar
Líquenes os grandes resistentes do espaço
Trufas e árvores trufeiras
Novos plásticos amigos do ambiente
Relações inter-específicas
Diversidade micológica
Os Fungos: a sua vida e como influenciam a nossa...
A Bioremediação de Solos Contaminados
Postagem no Bioterra sobre biomonitorização
Dê um Feliz Natal para os musgos
Bioindicação

Sítios Lusófonos
Biodiversity of Brazil (Adriano Spielmann)
Açores Bio Portal

Instituições
American Bryological and Lichenological Society
International Association for LichenologyThe British Lichen Society

Páginas pessoais
Checklists of Lichens of the World
(T. Feuerer)
Ways of Enlichenment (Trever Goward and Jason Hollinger)
The world of lichenology
(Dr. Clifford Smith)
The Lichens
(Tatsuya Okamoto, Kochi University)
Lichens of the Ozarks
(Richard C. Harris and Douglas M. Ladd)
Lichen Herbarium and Sonoran Desert Flora Project, Arizona State University
(Thomas H. Nash, III)
Lichens at University of Minnesota
(Cliff Wetmore)
Lichens at Oregon State University
(Bruce McCune)
LichenLand (Oregon State University, Sherry Pittam, et.al.)
Colorado lichens
(Dan Fosha)
Lichens of Ireland (Paul Whelan)

Lichens of North America(Irwin Brodo, Sylvia Sharnoff e Stephen Sharnoff)
Los macrolíquenes epifitos de España. Una guía interactiva (Eva Barreno, Pier Luigi Nimis, Stefano Martellos)

Líquenes como bioindicadores
USDA- Forest Service PNW Lichens and Air Quality


Environmental Monitoring

Lichens and Lichen-Feeding Moths as Bioindicators of Air Pollution in the Rocky Mountain Front Range

Lichens and Air Quality in the Lye Brook Wilderness Area 

Dossiês BioTerra Relacionados
Astronomia
Biodiversidade
Bioética
Bioinformática
Biomoniterização
Blogosfera ambiental
Botânica
Ciência
Estatística
Física
Geologia
Nanotecnologia
Oceanos
PaleoTerra
Pesticidas
Química
Saúde
Transgénicos

NOVA ATENÇÃO © COPYRIGHT-  Ao partilhar, agradeço atempadamente a indicação do autor e do meu blogue Bioterra. Estes dossiês resultam de um apurado trabalho de pesquisa, selecção de qualidade e organização.

terça-feira, 18 de abril de 2006

Documento ao Presidente da República

Assinada por 15 associações cívicas da região do Porto e Norte, foi enviado
recentemente ao Senhor Presidente da República o seguinte documento:


UM MANDATO PRESIDENCIAL
PARA UM PORTUGAL SUSTENTÁVEL


As associações cívicas signatárias do presente documento, integrantes da Plataforma Convergir, organizações não governamentais, de carácter ambiental, social, político ou humanitário, ou aparentado, vêm por este meio saudar o novo Presidente da República Portuguesa no início do seu mandato e propor-lhe que tenha em consideração o documento que adiante apresentamos como um contributo de cidadania para o exercício das suas funções.
Simultaneamente, pretendem solicitar-lhe que, sem prejuízo das questões correntes e das prioridades que estabeleça, decida atribuir, se possível desde já e ao longo dos próximos cinco anos, uma importância especial à questão da sustentabilidade do desenvolvimento de Portugal.
As signatárias pedem igualmente ao Presidente da República, como mais alto responsável da hierarquia política portuguesa, que exerça toda a sua influência institucional para que o País venha a adoptar rapidamente estratégias efectivas de Desenvolvimento Sustentável, superando o atraso e a negligência que nesta matéria se têm verificado, quer ao nível do poder central, quer ao nível local.
Nessa perspectiva, julgamos que o Presidente da República não poderá alhear-se do incentivo à implantação das Agendas 21 Locais, por forma a contribuir para que a evolução social e económica se processe tendo em conta a necessidade de preservar para as gerações presentes e futuras os recursos naturais, a qualidade do ambiente, a integridade ou a restauração da beleza paisagística, o ordenamento equilibrado do território, a equidade e a justiça sociais, a equidade e a justiça ambientais e a coesão económica, social e territorial.
As signatárias sugerem ainda que poderá ter um impacto importante na sociedade portuguesa o empenho do Presidente da República na promoção e divulgação das boas práticas em matéria de sustentabilidade que possam já existir no País, inclusive a nível de municípios, intervenção essa de intuitos pedagógicos e de sensibilização dos sectores da administração ou das autarquias que ainda não tenham feito qualquer diligência no sentido de cumprir os compromissos decorrentes da participação portuguesa na Cimeira da Terra de 1992. Pretende-se que sejam dados novos e decisivos passos, quer a nível nacional quer das autarquias, para o cumprimento, por parte do nosso País, dos compromissos então assumidos, não apenas por se tratar de uma obrigação internacional, mas antes de mais no interesse da própria sobrevivência sustentável de Portugal.
As signatárias propõem igualmente ao Presidente da República que, em articulação com o Governo, com as organizações não governamentais e com outros parceiros que considere pertinentes, seja criado um grupo de trabalho ou fórum permanente dedicado a assessorar a Presidência da República no acompanhamento da execução da estratégia de sustentabilidade no País, e em especial no que diz respeito à educação para esse objectivo, grupo esse que mantenha uma ligação estreita com o Conselho Nacional de Ambiente e Desenvolvimento Sustentável.
As signatárias aproveitam esta oportunidade para chamar a atenção para algumas pistas de reflexão relativas à questão da sustentabilidade ambiental e social de Portugal:

- necessidade de incentivar o aumento da eficiência energética, a mobilidade sustentável, uma política de transportes públicos que evite a multiplicação dos transportes privados mais devoradores de energia, e de dar maior relevo às energias renováveis, nomeadamente a solar e a dos oceanos, sem no entanto deixar de ter em conta algumas condicionantes ambientais, paisagísticas e de conservação da natureza que devem igualmente ser consideradas mesmo no caso das energias não-fósseis; necessidade de superar a deficiente orientação que tem tido a política energética, por forma a considerar devidamente as responsabilidades de Portugal no contexto europeu com vista ao cumprimento dos objectivos do Protocolo de Quioto, a que não tem sido dada cabal atenção ou para o que por vezes se propõem «soluções», como o nuclear, que consistem somente em passar de Cila a Caríbdes;

- urgência de uma nova cultura da água, encarando-a não apenas como um recurso de primeira importância cuja qualidade há que preservar mas igualmente como um meio vivo, com destaque para as bacias hidrográficas como unidade de gestão e para a conservação ou restauração dos ecossistemas a elas associados;

- necessidade de recorrer a, e/ou reorganizar, uma diferenciação positiva que procure compensar algumas desvantagens ou especiais dificuldades em que se encontram as populações do interior, por forma a evitar que se agrave o depauperamento e abandono da agricultura e a aceleração do êxodo das regiões rurais, a que o próprio poder central dá por vezes incentivo ao fechar serviços públicos indispensáveis em zonas do interior ou afastadas dos grandes centros;

- necessidade de inverter o desordenamento do território que se tem vindo a verificar nas últimas décadas, bem como de evitar a proliferação do mau urbanismo, a multiplicação de infra-estruturas concebidas com desprezo dos valores naturais, ambientais, patrimoniais, históricos, agrícolas e humanos;

- necessidade, no que se refere à situação da silvicultura, de um decidido incentivo ao plantio de espécies autóctones e à protecção da recuperação espontânea por essas espécies, limitando e seccionando as extensas manchas de espécies altamente inflamáveis, como o pinheiro bravo e sobretudo o eucalipto, sem o que qualquer política de combate aos fogos ditos florestais não passará de ilusão;

- necessidade de favorecer a implantação de um turismo efectivamente sustentável a longo prazo, contrariando as agressões ao litoral, às suas potencialidades produtivas e à conservação dos seus recursos, e preservando ou restaurando a sua qualidade paisagística; em particular, evitar a proliferação de um turismo sem qualidade que deteriora o seu próprio capital de atracção, banalizando as paisagens;

- necessidade de combater a poluição e preservar os recursos e a saúde dos solos, da água, do ar e das pessoas, evitando o desajustamento entre o desenvolvimento industrial como ele tende a verificar-se actualmente e a urgência de um ambiente saudável;

- necessidade de combater a exclusão de importantes sectores da população dos benefícios do desenvolvimento, caracterizada pela manutenção de bolsas significativas de pobreza e até miséria, a par com o enriquecimento extremado de certos sectores, por vezes de origem ilegal, alargando o fosso entre as camadas mais e menos beneficiadas da sociedade;

- necessidade de dotar a actual política de conservação da natureza dos meios humanos e financeiros capazes de colmatar a insuficiência notória que hoje a limita;

- necessidade de atribuir à dimensão do ambiente e da preservação dos recursos naturais, a nível da definição das políticas da administração central, um papel transversal em toda a acção dos diversos ministérios e sectores da administração, superando a actual posição subalterna a que essa dimensão é em geral remetida;

- necessidade de criar condições para uma participação cívica mais ampla na resolução dos problemas nacionais, para o que urge rever e ajustar os modelos de representação política, tornar transparente, operante e simplificada a administração do Estado e solicitar a cooperação dos partidos e outras associações e instituições cívicas no sentido de darem elevada prioridade à defesa dos recursos do país e da sua qualidade ambiental e em geral à resolução dos seus problemas, e subalternizarem as querelas de emblemas e de pessoas;

- necessidade de fixar unidades territoriais administrativas de âmbito regional ou supramunicipal que reflictam o modo como as pessoas vivem no território e facilitem a resposta às necessidades diferenciadas das populações, gerando dinâmicas de participação, redes e parcerias, sectoriais e intersectoriais, tendo em conta os diferentes territórios e as suas especificidades e as estratégias de sustentabilidade mais apropriadas a cada um deles, permitindo assim reforçar as vantagens comparativas do País no contexto europeu;

- necessidade de integrar as políticas económicas num conceito ecológico exigente, na compreensão de que, em última análise, é a economia que depende da ecologia e dos recursos, e não o inverso.

As signatárias solicitam, por fim, ao Presidente da República que aceite receber a breve prazo uma sua delegação com o objectivo de expor mais em pormenor algumas destas preocupações e de sugerir as modalidades concretas para a criação de um canal permanente de comunicação com a Presidência da República.
Porto, 13 de Março de 2006
Seguem-se as assinaturas dos representantes das associações subscritoras: AMILEÇA - Associação dos Amigos do Rio Leça
APRIL - Associação de Política Regional e de Intervenção Local
ARPPA - Associação Regional de Protecção do Património Cultural e Natural
Associação dos Amigos do Mindelo para a Defesa do Ambiente
Associação dos Amigos do Rio Ovelha
Associação de Defesa da Praia da Madalena
Campo Aberto - associação de defesa do ambiente
FAPAS - Fundo de Protecção dos Animais Selvagens
GAIA - Grupo de Acção e Intervenção Ambiental
Liga Portuguesa de Profilaxia Social
NDMALO - Núcleo de Defesa do Meio Ambiente de Lordelo do Ouro
Olho Vivo - Associação para a Defesa do Património, Ambiente e DireitosHumanos
Onda Verde - Associação Juvenil de Ambiente e Aventura
Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza (Núcleo do Porto)Senhores Bichinhos - Associação de Protecção dos Animais

domingo, 16 de abril de 2006

To The Beat


Directamente de Dusseldorf, na Alemanha, esta refrescante e intensa curta-metragem criada por Roman Tonjes and Loss Lukas é sobre o fabrico e venda de um disco na era electrónica - desde a produção até a distribuição. To the beat!
Do mesmo autor referi hoje outro excelente trabalho nesta postagem.

sexta-feira, 14 de abril de 2006

*Campanha pela Paz e Não-Violência* - procuram-se activistas pela Paz e Não-Violência




Não estamos todos fartos de um mundo repleto de violência, guerra,
negócios de armamento, conflitos, vítimas inocentes, intolerância e agressões?

Pois bem, o
GAIA, informou já em Fevereiro deste ano, que se encontra neste momento a desenvolver uma campanha que pretende lutar pela bela utopia de um mundo onde,gradualmente, todos esses fenómenos possam ter cada vez menos espaço e, ao invés, se possam desenvolver relações e paradigmas de Paz e Não-Violência, Cooperação, Fraternidade e Igualdade entre todos os povos e nações.

É utópico? Pois bem, é da utopia que nascem as visões de um mundo melhor e da utopia que se fazem as verdadeiras (r)evoluções de mentalidades e comportamentos. Face à realidade actual, nada temos a perder em lutar pelas nossas utopias e valores primordiais da Paz e Fraternidade entre todos os seres, até porque o que podemos fazer a esse nível, se calhar, é bem mais do que possamos pensar.

Nesse sentido, o GAIA, juntamente com outras associações e iniciativas pela Paz e Não-Violência, a nível nacional (Plataforma Mahatma Gandhi) e internacional (Abolition2000) tem vindo a desenvolver a a campanha pela Paz e Não-Violência direccionada para a sensibilização

sobre estas como atitude e filosofia de vida activa e para uma educação pela Paz.

Para isso, tomámos por objectivos a reflexão e proposta de actividades tendo
em vista a promoção desta cultura de Paz e Não-Violência (nomeadamente questionando o militarismo), uma análise da situação portuguesa neste âmbito e uma abordagem e aprofundamento da questão da energia e armamento nuclear sob uma postura crítica e abolicionista.

Durante este ano 2006 temos planeadas diversas acções, tendo a primeira sido realizada a 30 de Novembro (Dia Internacional de Mahatma Gandhi)em conjunto com a Associação Campo Aberto, com a passagem de um filme e forum de discussão sobre as temáticas da Paz e Não-Violência, nomeadamente na linha de pensamento desse grande mentor da Paz e Não-Violência que foi Mahatma Gandhi.

Estão ainda previstas acções para:

Aniversário da Invasão do Iraque (acção de protesto contra a guerra e todas as ocupações militares)

Dia da Defesa Nacional - recruta durante Maio (acção pela não militarização dos jovens)

Dia Criança - de Junho (comemoração pela Década Internacional para uma Cultura de Paz e Não-Violência para as Crianças do Mundo - acção de valorização da Paz e Não-Violência)

Encontro Internacional da Rede Abolition 2000 (a acontecer em Agosto, na Bélgica)

Aniversário dos Bombardeamentos de Hiroshima e Nagasaqui, 6 e 9 de Agosto (acção de âmbito contra a proliferação nuclear)

Sessenta anos dos Direitos Humanos - Dezembro (acção de valorização da paz e não-violência)

Entre outras acções ainda a agendar

Qualquer ajuda em termos de activismo podem ser muito importantes e constituir um esforço muito relevante para o desenvolvimento da campanha, algumas tarefas em que essa ajuda é particularmente pertinente:

- tradução e redacção de textos

- redacção de comunicados de imprensa

- estabelecimento de contactos e divulgação na imprensa

- planeamento e realização de acções directas pela Paz e Não-Violência,
podendo incluir acções pacifistas de desobediência civil

- investigação (paz, militarismo, energia e armamento nuclear, relação
destas variáveis com o ambiente)

- estabelecimento de parcerias nacionais e internacionais

- trabalho gráfico e audiovisual

- apoio informático

- apoio jurídico

- disponibilização de espaços e infra-estruturas para a realização de
actividades e o que mais cada um@ possa sugerir!

Tentaremos ainda desenvolver algumas acções de formação sobre as áreas em questão, apresentar e divulgar os resultados contínuos da campanha e conseguir uma articulação efectiva com outras organizações que trabalhem em prol da Paz e Não-Violência a nível nacional (Plataforma Mahatma Gandhi e outras) e internacional (nomeadamente, na campanha Abolition2000).

É também importante a criação de estruturas que capacitem a criação de um Fórum pela Paz e Não-Violência (de índole internacional, promovido por organizações nacionais) a realizar-se idealmente em Janeiro de 2007.

Nesse sentido, e se pretenderes, desde já, acompanhar as actividades no âmbito da Paz e Não-Violência e receber informações sobre futuras iniciativas podes inscrever-te na lista do Forum Mahatma Gandhi em:

http://lists.riseup.net/www/info/forum_mahatma_gandhi

ou enviando um e mail para:

forum_mahatma_gandhi-subscribe@lists.riseup.net


ou, no caso de não conseguires, para:

porto@gaia.org.pt


Se acreditas nos valores da Paz e Não-Violência, chegou então a tua oportunidade para poderes lutar e fazer algo efectivo por eles.

Para mais informações ou se estives interessado\a, por favor contactem
um@ d@s activistas da campanha:

Inês Vieira _ inesvieira@gaia.org.pt


Pedro Jorge Pereira _ pjp@gaia.org.pt

ou então o GAIA – Porto

porto@gaia.org.pt


Paz e Amor para tod@s tod@s os seres e nações!


quarta-feira, 12 de abril de 2006

O nuclear não resolve problemas energéticos nem climáticos

1.Conselheiros britânicos dizem que nuclear não resolve problemas energéticos nem climáticos. Segundo o director da SDC Jonathon Porritt, as vantagens do nuclear são de longe ultrapassadas pelas desvantagens como os custos, o lixo radioactivo e o risco da proliferação de armas nucleares (8/04/06,via Ondas).


2.Aumentam preocupações devido a suspeitas de água contaminada por radiações provenientes de fugas radioactivas de centrais nucleares. Tudo porque a indústria e as autoridades nucleares têm atrasado a divulgação de informação credível e actualizada sobre fugas radioactivas (de tritio), algumas delas ocorridas em 1996 e 1998 (8/04/06,via Ondas).

3.América e Grã-Bretanha colaboram no fabrico de ogivas nucleares
As novas
ogivas nucleares substituirão os actuais mísseis Trident que equipam 4 submarinos Vanguard da armada britânica. O projecto pretende fabricar 125 armas até 2011 e a Operação Krakatau foi o código do teste nuclear levado a cabo no deserto de Nevada o mês passado.(11/04/06,via Ondas)

Junta-te à Ambitare!




Porquê???Para quê??Como foi possível???

terça-feira, 11 de abril de 2006

Chomsky e as 10 Estratégia​s de Manipulaçã​o Mediática

Caríssimos colegas,
Como bem refere Maria do Carmo Vieira , em O Ensino do Português a "exigência, a força de vontade, desejo de ultrapassar a dificuldade, de compreender e de saber foram substituídos em bloco pela convivência com a facilidade e o sucesso garantido". Digamos que a partir de 2003, esse é de facto o espartilho que nos dividiu e nos une, paradoxalmente. Por força de despachos, circulares, notas informativas substituiu-se o rigor e a transversalidade (com a gradual e acelerada fraca intervenção dos seus principais agentes, nós os professores) por uma escola com passagens administrativas e alunos demasiado "especializados" (hoje em dia, especializam-se em exames) e ao mesmo tempo  competem connosco fenómenos sociais que promovem o espectáculo e a mediocridade e premeiam a vilanagem e o chico-espertismo.
Estamos (nós os docentes) a sofrer o maior ataque que tenho memória.
Creio que está na altura de conhecermos Chomsky e partilho convosco uma súmula deste pensador contemporâneo que traz um outro olhar.
Boas leituras. 

1- A ESTRATÉGIA DA DISTRACÇÃO.

O elemento primordial do controle social é a estratégia da distracção que consiste em desviar a atenção do público dos problemas importantes e das mudanças decididas pelas elites políticas e económicas, mediante a técnica do dilúvio ou inundações de contínuas distracções e de informações insignificantes. A estratégia da distracção é igualmente indispensável para impedir ao público de interessar-se pelos conhecimentos essenciais, na área da ciência, da economia, da psicologia, da neurobiologia e da cibernética. "Manter a atenção do público distraída, longe dos verdadeiros problemas sociais, cativada por temas sem importância real. Manter o público ocupado, ocupado, ocupado, sem nenhum tempo para pensar; de volta à quinta como os outros animais (citação do texto 'Armas silenciosas para guerras tranquilas')".

2- CRIAR PROBLEMAS, DEPOIS OFERECER SOLUÇÕES

Este método também é chamado "problema-reação-solução". Cria-se um problema, uma "situação" prevista para causar certa reação no público, a fim de que este seja o mandante das medidas que se deseja fazer aceitar. Por exemplo: deixar que se desenvolva ou se intensifique a violência urbana, ou organizar atentados sangrentos, a fim de que o público seja o mandante de leis de segurança e políticas em prejuízo da liberdade. Ou também: criar uma crise económica para fazer aceitar como um mal necessário o retrocesso dos direitos sociais e o desmantelamento dos serviços públicos.

3- A ESTRATÉGIA DA GRADAÇÃO.

Para fazer com que se aceite uma medida inaceitável, basta aplicá-la gradativamente, a conta-gotas, por anos consecutivos. É dessa maneira que condições socioeconómicas radicalmente novas (neoliberalismo) foram impostas durante as décadas de 1980 e 1990: Estado mínimo, privatizações, precariedade, flexibilidade, desemprego em massa, salários que já não asseguram ingressos decentes, tantas mudanças que haveriam provocado uma revolução se tivessem sido aplicadas de uma só vez.

4- A ESTRATÉGIA DO DEFERIDO.

Outra maneira de se fazer aceitar uma decisão impopular é a de apresentá-la como sendo "dolorosa e necessária", obtendo a aceitação pública, no momento, para uma aplicação futura.É mais fácil aceitar um sacrifício futuro do que um sacrifício imediato. Primeiro, porque o esforço não é empregado imediatamente. Em seguida, porque o público, a massa, tem sempre a tendência a esperar ingenuamente que "tudo irá melhorar amanhã" e que o sacrifício exigido poderá ser evitado. Isto dá mais tempo ao público para acostumar-se com a idéia de mudança e de aceitá-la com resignação quando chegue o momento.

5- DIRIGIR-SE AO PÚBLICO COMO CRIANÇAS DE BAIXA IDADE.

A maioria da publicidade dirigida ao grande público utiliza discurso, argumentos, personagens e entonação particularmente infantis, muitas vezes próximos à debilidade, como se o espectador fosse um menino de baixa idade ou um deficiente mental. Quanto mais se intente buscar enganar ao espectador, mais se tende a adotar um tom infantilizante. Por quê? "Se você se dirige a uma pessoa como se ela tivesse a idade de 12 anos ou menos, então, em razão da sugestionabilidade, ela tenderá, com certa probabilidade, a uma resposta ou reação também desprovida de um sentido crítico como a de uma pessoa de 12 anos ou menos de idade (ver "Armas silenciosas para guerras tranqüilas")".

6- UTILIZAR O ASPECTO EMOCIONAL MUITO MAIS DO QUE A REFLEXÃO.

Fazer uso do aspecto emocional é uma técnica clássica para causar um curto circuito na análise racional, e por fim ao sentido critico dos indivíduos. Além disso, a utilização do registo emocional permite abrir a porta de acesso ao inconsciente para implantar ou enxertar idéias, desejos, medos e temores, compulsões, ou induzir comportamentos...

7- MANTER O PÚBLICO NA IGNORÂNCIA E NA MEDIOCRIDADE.

Fazer com que o público seja incapaz de compreender as tecnologias e os métodos utilizados para seu controle e sua escravidão. "A qualidade da educação dada às classes sociais inferiores deve ser a mais pobre e medóocre possível, de forma que a distância da ignorância que paira entre as classes inferiores às classes sociais superiores seja e permaneça impossíveis para o alcance das classes inferiores (ver 'Armas silenciosas para guerras tranquilas')".

8- ESTIMULAR O PÚBLICO A SER COMPLACENTE NA MEDIOCRIDADE.

Promover no público a achar que é moda o fato de ser estúpido, vulgar e inculto...

9- REFORÇAR A REVOLTA PELA AUTOCULPABILIDADE.

Fazer o indivíduo acreditar que é somente ele o culpado pela sua própria desgraça, por causa da insuficiência de sua inteligência, de suas capacidades, ou de seus esforços. Assim, ao invés de rebelar-se contra o sistema económico, o individuo se auto-desvalida e culpa-se, o que gera um estado depressivo do qual um dos seus efeitos é a inibição da sua ação. E, sem ação, não há revolução!

10- CONHECER MELHOR OS INDIVÍDUOS DO QUE ELES MESMOS SE CONHECEM.

No transcorrer dos últimos 50 anos, os avanços acelerados da ciência têm gerado crescente brecha entre os conhecimentos do público e aquelas possuídas e utilizadas pelas elites dominantes. Graças à biologia, à neurobiologia e à psicologia aplicada, o "sistema" tem desfrutado de um conhecimento avançado do ser humano, tanto de forma física como psicologicamente. O sistema tem conseguido conhecer melhor o indivíduo comum do que ele mesmo conhece a si mesmo. Isto significa que, na maioria dos casos, o sistema exerce um controle maior e um grande poder sobre os indivíduos do que os indivíduos a si mesmos.

segunda-feira, 10 de abril de 2006

Fast-food incentiva destruição da Amazónia


Veja e divulgue a seguinte animação



A organização ambientalista Greenpeace divulgou a 6 de Abril de 2006 um estudo que demonstra como a procura mundial de soja provoca a destruição da Amazónia, a maior floresta tropical do mundo.

De acordo com a investigação, a soja amazónica vai parar às prateleiras de supermercados e redes de fast-food da Europa.

Estamos a destruir a maior floresta tropical do planeta para dar lugar à soja, uma espécie exótica, que será transformada em ração para alimentar gado e frango na Europa- disse Paulo Adário, coordenador da campanha da Amazónia do Greenpeace-Depois, este gado e este frango são vendidos no MCDonald´s mais próximo e você pode estar a comer um pedaço da Amazônia.

Segundo o Greenpeace , o relatório Comendo a Amazónia é resultado de uma investigação sigilosa realizada durante um ano nas regiões de produção e consumo de soja, baseada em análise de imagens de satélites, sobrevôos, análise de dados do governo brasileiro e pesquisas em campo.

O documento revela que as três multinacionais norte-americanas de produção agrícola que controlam a maior parte do mercado de soja na Europa - ADM (Archier Daniels Midland), Bunge e Cargill, - estão a impulsionar o desflorestamento ilegal da Amazónia.

Este crime começa na Amazónia e estende-se a toda a indústria alimentar da Europa- alertou o coordenador da campanha de Florestas da Greenpeace Internacional, Gavin Edwards.

A Greenpeace defende que as redes europeias de supermercados e de «fast food» devem certificar-se de que não estão a usar soja produzida na Amazónia nos seus produtos para não serem coniventes com a destruição da floresta.

A organização ambientalista está organizar diversas manifestações em países europeus para consciencializar a população para o problema.

Recentemente, um relatório da revista científica Nature alertou que 40 por cento da Amazónia serão destruídos até 2050 se a fronteira agrícola continuar a expandir-se ao ritmo actual.(Fonte:
Portugal Diário)


Para saber mais


Relatório Comendo a Amazónia (ficheiro da Greenpeace em inglês. pdf- Impressionante!)



Campanha mundial da Greenpeace- divulgue a seguinte animação, junte-se à Greenpeace, denuncie e participe nesta campanha Não à McAmazónia!


Diz à MacDonald´s para não incluir a Amazónia no seu menú!

sábado, 8 de abril de 2006

Dia Mundial da Astronomia:: Durutti Column- The Room


Sabe bem o meu quarto, um quarto chamado Paraíso**Universo!!!

Sítios seleccionados, pelo BioTerra, sobre Astronomia

quinta-feira, 6 de abril de 2006

Green.tv: PNUA Lança Primeiro Canal de Banda Larga Dedicado ao Ambiente

Bicicleta Solar, desenho de William Angus, 6 anos, Middlesex- Eco-engenheiro desta geração


Por Patrícia Santos, CONFAGRI
O Programa das Nações Unidas para o Ambiente (PNUA) lançou o primeiro canal de televisão do mundo de banda larga dedicado ao ambiente. O Green.TV vai concentrar-se em temas que vão das alterações climáticas a histórias de crianças sobre a vida selvagem.

O canal de televisão na Internet e disponibiliza filmes de todo o mundo produzidos por organizações não governamentais, por realizadores desconhecidos, por organismos públicos e empresas com interesses comprovados na protecção do ambiente.

O green.tv é um projecto verdadeiramente inovador que influenciará, sem dúvida, o campo da realização de filmes sobre o ambiente e da investigação ambiental-disse o director da Divisão de Comunicações e Informação ao Público do PNUA, Eric Falt -O green.tv tem o potencial de se tornar um ponto de referência de banda larga neste campo.

O projecto disponibiliza sete canais que cobrem: ar, terra, água, alterações climáticas, pessoas, espécies e tecnologias. Combinará estas áreas com os melhores elementos da Internet, proporcionando acesso a salas de conversa online e a vídeos.

E ainda mais :)

Se não teve oportunidade de estar no V Congresso Ibero-americano de Educação Ambiental,que termina a 8 de Abril, pode acompanhá-lo no Canal de Educação Ambiental na Internet

segunda-feira, 3 de abril de 2006

Durutti Column e Martin Luther King- Let me tell you something



"True peace is not merely the absence of tension; it is the presence of justice [...]
To cure injustices, you must expose them before the light of human conscience"

"Se soubesse que o mundo se desintegraria amanhã, ainda hoje plantaria a minha macieira. O que me assusta não é a violência de poucos, mas a omissão de muitos.Temos aprendido a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas não aprendemos a sensível arte de viver como irmãos."

"Saiba que seu destino é traçado pelos seus próprios pensamentos, e não por alguma força que venha de fora. O seu pensamento é a planta concebida por um arquitecto para construir um edifício denominado prosperidade. Você deve tornar o seu pensamento mais elevado, mais belo e mais próspero."

"Mesmo as noites totalmente sem estrelas podem anunciar a aurora de uma grande realização."

"...a mais urgente pergunta a ser feita nesta vida é: - O que fiz hoje pelos outros???..."

 (amanhã é dia do Mestre- assassinado a 4 de Abril de 1968)