quinta-feira, 31 de agosto de 2006

Dia Internacional da Solidariedade



Solidariedade é a adesão expontânea à causa dos outros, numa ação generosa e bem intencionada. Ser solidário é ajudar sem esperar nada em troca, sem segundas intenções.

Na Declaração do Milénio das Nações Unidas (setembro de 2000), a solidariedade foi reconhecida como um dos valores fundamentais para as relações internacionais no século XXI.
Em 31 de agosto de 2000, a Organização das Nações Unidas proclamou esta data com o objetivo de promover e fortalecer os ideais de soliedariedade (sentido de ajuda) entre as nações, povos e indivíduos, nomeadamente em situações difíceis de origens diversas.



quarta-feira, 30 de agosto de 2006

Hoje celebro 40 anos de vida! Com Siouxsie And The Banshees- Swimming Horses

E partilho convosco a canção Swimming Horses da Siouxsie.É um poema, uma música e um video que me dizem muito.A primeira vez que a ouvi, fiquei hipnotizado. E estamos a falar há cerca de vinte anos. Ainda era o tempo do walkman e das cassetes e levava-o para sítios lindos,com esta canção incluída e partilhavamos juntos estes momentos...onde a mensagem Natureza, panteísmos e outros sentimentos de Poesis estava em força, límpida e em prece.

Siouxsie and the Banshees - Swimming Horses


Swimming Horses

falling in your, falling in your arms
fish on a line, learns to live on dry land
thrown back again to drown
kinder with poison
than pushed down a well - or a face burnt to hell
feel the cruel stones breaking her bones
dead before born
words fall in ruins - but no sound
she's dying of your shame - she maimed by your paw
he gives birth to swimming horses
fish on a line, walking on dry land
but, back in the water to drown we drown
floating in sky
he gives birth to swimming horses
take a ride on the tide with the assassin at your side
the weightlessness under water -- forgets in slow motion
and washes pointless tortures
he gives birth to swimming horses
floating in sky like fishes can fly through your arms

Album: Hyaena
From: 1984 Geffen
Siouxsie video from 1984 includes Robert Smith from when he was a Banshee

segunda-feira, 28 de agosto de 2006

Consumo de bebidas, hábitos alimentares e gases efeito de estufa (GEE)

Um enorme rancho de gado, Brasil (fonte: Guardian)
Num artigo científico (ler pdf ) , as autoras chegaram à conclusão que o leite é a bebida que mais contribui para os GEE. A analisar portanto, com mais pormenores. 
Entretanto, é a própria ONU (ver pdf) que neste relatório conclui que a mudança global para uma dieta vegana é vital para salvar o mundo da fome, pobreza de combustíveis e dos piores impactos da mudança climática. A previsão é de que a população mundial chegue a 9.1 biliões de pessoas em 2050 e o apetite por carne e lacticínios é insustentável, diz o relatório do programa ambiental da ONU (UNEP).




Notícias completas: 
  • UN urges global move to meat and dairy-free dietGuardian de 2 de Junho 2010  (seguir os links também)
  • Nutrient density of beverages in relation to climate impact aqui

sábado, 26 de agosto de 2006

Uma Verdade Inconveniente- o filme é já em Setembro

An Inconvenient Truth - Trailer


A Quercus vai realizar em conjunto com a Lusomundo o lançamento em antestreia do filme Uma Verdade Inconveniente de Al Gore no dia 12 de Setembro (em Lisboa e no Porto), sendo que em Lisboa será seguido de um debate.

O programa é o seguinte:

Dia: 12 de Setembro
Hora: 21h, após projecção do fime Uma Verdade Inconveniente
Onde: Lisboa, cinema El Corte Ingles
(No Porto haverá apenas a antestreia do filme mas sem debate)

Moderador:
Viriato Soromenho-Marques, Professor da Faculdade de Letras da
Universidade de Lisboa, consultor da edição portuguesa em livro de Uma
Verdade Inconveniente de Al Gore

Intervenientes:
Humberto Rosa, Secretário de Estado do Ambiente
Carlos Pimenta, Participante como eurodeputado na negociação de Quioto
Filipe Duarte Santos, Professor da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, responsável pelo Projecto SIAM (impactes das alterações climáticas para Portugal)
Francisco Ferreira, Professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, Direcção Nacional da Quercus

Não perca....Veja a verdade e
reduza o seu impacto no planeta .

Mais informações sobre Al Gore

sexta-feira, 25 de agosto de 2006

Marinaleda- Uma aldeia andaluza em autogestão, uma utopia real





"Avenida da Liberdade", "Rua Ernesto Che Guevara", "Praça Salvador Allende, "Paz, Pão e Trabalho", "Desliga a TV, acende a tua mente", "Uma utopia rumo à Paz", etc são os nomes de ruas, de praças e dos slogans de uma aldeia andaluza não longe de Córdoba e de Sevilha que o visitante estrangeiro descobre no fim de uma estrada sinuosa em meio a campos de oliveiras, de trigo cortado e seco ao sol.

A rua principal da pequena aldeia com cerca de 3000 habitantes conduz directamente ao ayuntamiento dirigido por Juan Manuel Sánchez Gordillo, que ganhou todas as eleições por uma ampla maioria e isto desde há mais de trinta anos.

Juan Manuel é um homem simples que recebe os visitantes no seu gabinete, que ostenta um grande retrato de Ernesto Che Guevara, espontaneamente e naturalmente sem agendamento nem protocolo. Ele não hesita em deixar o seu gabinete para mostrar as casas brancas situadas em frente ao edifício e construídas colectivamente pelos próprios habitantes em terras oferecidas quase gratuitamente (15,52 euros por mês) pela comuna. Esta põe igualmente à sua disposição a ajuda de um arquitecto e de um mestre-de-obras. A região contribui com o grosso do material de construção. Promotores imobiliários, especuladores e outros parasitas não têm aqui lugar. A habitação deixa assim de ser uma mercadoria e torna-se um direito.

Juan Manuel fala com entusiasmo e orgulho das numerosas realizações dos habitantes do seu município, com números e gráficos para confirmar.

O empregado do café "La Oficina", um pouco afastado do ayuntamiento, relativiza um pouco as afirmações daquele dirigente mas confirma, no essencial, os avanços sociais da aldeia, nomeadamente a concessão dos terrenos àquelas e àqueles que precisam de uma habitação, primeira preocupação dos espanhóis. Ele confirma também a ausência total da polícia, símbolo da repressão estatal. Com efeito, os habitantes não experimentam qualquer necessidade de recorrer aos seus "serviços". Aqui os problemas de criminalidade, de delinquência, de vandalismo, etc estão ausentes. Eles pensam gerir e resolver eles próprios os problemas que possam surgir entre si. De qualquer forma, desde a partida para a reforma do último polícia, não consideraram útil substituí-lo.

Frente ao "La Oficina" ergue-se um edifício sobre o qual se pode ler "Sindicato de Obreros del Campo" e "Casa da Cultura". Mas esta grande sala serve igualmente como café, bar e restaurante. É um lugar de inter-relacionamento, debates, festa e convivialidade. É ali também que se encontram, a partir da madrugada, os trabalhadores agrícolas para um pequeno-almoço colectivo antes de partirem juntos para uma jornada de trabalho de 6h30 nos campo de "El Humoso", a 11 quilómetros da aldeia.

Esta terra andaluza, hoje trabalhada colectivamente, é testemunha de um passado carregado de acções, ocupações, manifestações, greves, marchas e processos nos tribunais. E é graças a esta luta muito dura e realmente popular que esta terra (1200 hectares) foi arrancada a um aristocrata da região, o Duque do Infantado. Nesta Andaluzia profunda as mulheres, apesar dos pesos sociais e dos preconceitos, desempenharam um papel determinante neste combate para que a terra pertença àquelas e àqueles que a trabalham.

Hoje "estas terras não são a propriedade de ninguém e sim de toda a comunidade de trabalhadores", como dizem os habitantes da aldeia.

Mas para estes operários, não se trata apenas de recuperar as terras, mas também de construir "um projecto colectivo no qual um dos objectivos é a criação de empregos e a realização da justiça social".

Foi assim que nasceu o conjunto das cooperativas que produzem e distribuem uma série de produtos agrícolas de grande qualidade que exigem ao mesmo tempo uma mão-de-obra abundante: azeite, conservas de alcachofras, pimentão vermelho, favas, etc. Os produtores directos destas riquezas trabalham de 2ª feira a sábado com um remuneração diária de 47 euros, qualquer que seja o seu posto ou seu estatuto. O excedente que resta é re-investido na empresa comum na esperança de criar mais empregos e permitir assim que todos trabalhem conforme o seu projecto colectivo. Eles tentam por a economia ao serviço do homem e não ao serviço do lucro. O desemprego aqui é quase inexistente, ao passo que ultrapassa os 25% da população activa na Andaluzia e 20% em toda a Espanha!

Em "El Humoso" as operárias e os operários falam com uma certa emoção da sua cooperativa, do seu trabalho, dos seus produtos, da solidariedade e da convivialidade que reinam entre eles. Mas evocam igualmente o temor de ver a sua unidade estalar por causa dos seus inimigos que pensam ser numerosos na região e mesmo em toda Espanha. Nos seus relatos revela-se muita convicção e muita humanidade.

Manolo, um operário da cooperativa, fala com carinho, como se se tratasse de uma pessoa, da máquina de extrair o azeite da azeitona, de que ele cuida. Não hesita em explicar o seu funcionamento, a manutenção de que precisa, etc a todos os visitantes. Fala igualmente com respeito do seu companheiro de luta, o presidente Juan Manuel que considera como "el ultimo" desta categoria de homens capazes de arrostar um tal desafio e de conjugar num mesmo movimento pensamento e prática. Manolo evoca também a vida ascética do autarca da aldeia, as prisões e as perseguições judiciais que sofreu e o atentado do qual escapou. Com insistência, Manolo convida o visitante a retornar à cooperativa no mês de Dezembro ou Janeiro para admirar o trabalho de extracção do azeite.


Mas na aldeia não há nem hotel nem pensão para uma eventual estadia. Entretanto, a municipalidade põe graciosamente à disposição dos visitantes pavilhões os quais podem igualmente, se quiserem, partilhar o alojamento de alguns habitantes por uma quantia simbólica como em casa de António na avenida principal da aldeia. António acolhe calorosamente seus convidados com os quais gosta de falar da originalidade da sua aldeia e parece feliz por viver ali: "agora, dizia ele, vivemos em harmonia aqui".

Vivem igualmente em harmonia com os habitantes da aldeia os trabalhadores imigrdos, também eles contratados pela cooperativa de "El Humoso". Segundo diz o empregado do café da delegação sindical estes homens e mulheres fazem parte integrante da comunidade dos trabalhadores e participam como os outros nas decisões tomadas em assembleias-gerais. Com efeito, estas famosas assembleias fazem-se numa grande sala junto à delegação sindical onde ao lado das cadeiras brancas de plástico há toda espécie de louça e de toalhas armazenadas, provavelmente à espera de uma próxima festa popular. A sala é também ornamentada por um imenso e esplêndido quadro no qual se podem ver homens e mulheres em linhas cerradas antecedidos por dois homens e uma mulher com uma criança nos braços, todos a marcharem para a mesma direcção. "Hoje às 20h30, assembleia-geral na delegação sindical", diz a menagem difundida incansavelmente por uma camioneta que percorre todas as ruas da aldeia, convidando os habitantes à reunião para decidir os seus assuntos.

Eles organizam também os chamados "Domingos vermelhos" em que voluntários encarregam-se gratuitamente, entre outras coisas, de limpar e embelezar a sua comuna: manutenção dos passeios e jardins públicos, plantação de árvores, etc. A aldeia é não só uma das mais seguras como também a mais limpa da região!


A aldeia é relativamente rica em equipamentos colectivos em comparação com as comunas vizinhas. Os habitantes podem banhar-se durante todo o Verão na piscina municipal pela módica quantia de três euros. O infantário para crianças não lhes custa senão 12 euros por mês, refeições incluídas. O complexo desportivo "Ernesto Che Guevara", bem conservado, permite-lhes que pratiquem vários desportos como futebol, ténis ou atletismo.

Durante o Verão, os habitantes assistem regularmente à projecção de filmes ao ar livre no parque natural. Debates, conferências, filmes e apoio aos povos oprimidos, nomeadamente aqueles que estão injustamente privados do seu território, fazem parte da vida cultural e política da aldeia. Juan Manuel usa muitas vezes, ostensivamente, o lenço palestino.

O desporto, a cultura, as festas etc são direitos abertos a todos, tal como o trabalho e a habitação. O desenvolvimento tanto material como intelectual de cada indivíduo é, aqui, a condição do desenvolvimento de todos.

Vá a Marinaleda ver e verificar a realidade desta "utopia". Vá ao encontro destes homens e destas mulheres admiráveis que conseguiram construir, graças ao seu trabalho diário e às suas convicções – e em meio a um oceano de injustiças, desgraças e servidão – uma sociedade diferente. O capitalismo, pelas suas crises repetitivas e o perigo que representa para o homem e a natureza, não tem futuro. O exemplo concreto e com êxito de Marinaleda mostra que uma outra sociedade é possível.

quinta-feira, 24 de agosto de 2006

Breve análise astrológica do Bioterra

TODO O SENTIDO É AR

Conheci o blogue Postais da Novalis através de pesquisas que também faço na área de Espiritualidades e Educação Ambiental: Deepak Chopra; Osho,  etc...
Fiquei encantado com o blogue, em si- seriedade, profundidade, rigor nas referências bibliográficas. Também fiquei impressionado pelo enorme esforço dessa equipa em produzir materiais em português nestas áreas.
Resolvi intervir, deixando um comentário de elogio e incentivo e ontem já fui notícia:
BioTerra - Um blogue muito útil à comunidade do Anjo Dourado !
Nesse comentário tinha lançado ainda um desafio. António Rosa, principal autor do blogue e membro da equipa
Anjo Dourado correspondeu prontamente ao meu desafio e passo a transcrever, na íntegra, a análise que elaborou.

Em resposta a um post, o João Soares deixou este desafio no meu blogue: seria interessante avaliar no meu blogue BioTerra em termos da presença de características/traços de um virginiano. Como sou bem mandado, com todo o respeito e atenção que este blogue e o seu autor me merecem, cá estou a tentar demonstrar porque acho que este sítio é bem virginiano.

Virgem, regido pelo planeta Mercúrio, é um signo mutável do elemento Terra e apresenta estas características básicas: são diligentes, estudiosos, analíticos, exigentes, metódicos e muito humanos e com uma enorme capacidade de síntese.

O seu autor, entre muitos modelos (templates) escolheu um que tivesse fundo claro, bastante amplo para caberem textos mais extensos e com um cabeçalho em azul. Um signo mutável escolheria estas características. Precisa de ar para respirar. Significa igualmente que aqui não existe um dos lados negativos de Virgem: a mesquinhez. Isso não existe aqui. O oposto, sim. Generosidade, amplidão, cores claras.

O elemento Terra está bem presente, eu diria, omnipresente neste blogue. No título do blogue. Nas cores dos textos: preto, castanho, verde. São as cores predominantes do elemento. As fontes usadas são grossas, para permitirem boa leitura, portanto, pensando nos leitores, outra característica generosa do regente do signo.

A bibliografia que acompanha os posts é excelente. Completa, detalhada, minuciosa. Os temas tratados pertencem à natureza especializada do blogue e não é isso que o faz ser um blogue virginiano. É sim, na organização, no método de arrumação e sobretudo, na incrível quantidade de informação útil a nível de links. Imensos e variados. É quase um directório. Excelente para qualquer investigador. Nas imensas horas pacientemente consumidas a criar esta informação.

Destaques do Bioterra, Terra viva, Estrutura da terra, Terra cósmica, Terra microcósmica, Paleoterra, Terra urbana, Terra justa, etc., etc. Absolutamente deslumbrante em organização, metodologia, pormenorização, amplidão de informação. Isto é Virgem. Como pormenor gentil, possui um informador sobre temperatura ambiente para jardins e imensos, além de imensos links com logótipos, o que demonstra uma séria capacidade de intervenção cívica.

Sou do signo Gémeos, pelo que partilho o mesmo planeta regente. Além disso possuo Saturno em Virgem, o que me levou a apreciar muito este blogue, pelas razões acima expostas. Por isso, fiz um linque na minha secção Outros blogues.

Não devo alongar-me mais, para não ocupar espaço que os outros também necessitam.

Um abraço.
Caro António Rosa, revejo-me completamente!! E estou profundamente agradecido. É na realização de Utopias que nos fazem seres mais completos.
Um abraço amigo

quarta-feira, 23 de agosto de 2006

Dossier: Várias ONG Portuguesas

(alguns links e moradas podem sofrer alterações no futuro)


Associações Nacionais de Defesa do Ambiente

A EIRA - Associação de Estudos e Intervenção Regional para o Ambiente
Casa do Barronco, Belavista, 23 - Abelheira
4900 VIANA DO CASTELO

A MÓ - Associação do Vale do Neiva
Lugar da Foz - Apartado 20
4905 BARROSELAS




A ROCHA - Associação Cristã de Estudos e Defesa do Ambiente
Cruzinha - Mexilhoeira Grande
8500 PORTIMÃO
en.arocha.org

AAMARG - Associação dos Amigos dos Moinhos e Ambiente da Região da Gândara
Rua António José de Almeida, nº 19
3070-399 MIRA
Tel.: 231 451 114
e-mail: geral@aamarg.org
www.aamarg.org

AAMDA - Associação dos Amigos do Mindelo para a Defesa do Ambiente
Rua do Burgal, 66 - 4485-516 Mindelo - Portugal
Tm: +351 93 606 11 60 / 96 487 41 33
e-mail: info@amigosdomindelo.pt
www.amigosdomindelo.pt

AAP - Associação dos Arqueólogos Portugueses
Lg. Carmo-Museu
1200-092 LISBOA
Tel.: 213460473

AAT - Associacão dos Amigos do Tejo
Edifº Bartolomeu Dias - 2° piso - Doca de Alcântara
1300 LISBOA

ACAB - Associação Cultural Azurara da Beira
Rua 25 de Abril, 3 - 1°
3530 MANGUALDE
Tel.: 232622170
acab.no.sapo.pt

ACMA - Associação de Conservação do Meio Ambiente
Edfº Junta de Freguesia de Pinheiro - Cave - Pinheiral - Pinheiro
4575 ENTRE-OS-RIOS

ADA - Associação para o Desenvolvimento e Defesa do Ambiente
C.M. Portel - Praça D. Nuno Àlvares Pereira
7220 PORTEL

ADABATA - Associação para a Defesa do Ambiente do Baixo Tâmega
Escola Básica 1, 2 e 3 de Marão - Aboadela
4600 AMARANTE

ADAC - Associação de Defesa do Ambiente do Cartaxo
Av. João de Deus, 14 r/c - Apartado 152
2071 CARTAXO CODEX

ADAL-TEJO - Associação para o Desenvolvimento das Actividades Ligadas ao Tejo
Cabeço das Pesqueiras
6030 VILA VELHA DE RODÃO

ADAP - Associacão de Defesa do Ambiente do Concelho de Portimão
Rua Júdice Biker, 11 - 4° A - Apartado 677
8506 PORTIMÃO

ADAPA - Associação Defesa do Ambiente e do Património de Alverca e Zona Sul Conc. Vila Franca Xira
Apartado 74
2615 ALVERCA

ADASA - Associaçao de Defesa do Património Cultural e Ambiental de Santo Amador
Rua de Moura, 159
7875 SANTO AMADOR

ADEP - Associação de Estudo e Defesa do Património Histórico-Cultural de Castelo de Paiva
Parque das Tílias - Frutuária
4550 CASTELO DE PAIVA

ADEPA - Associação para a Defesa e Valorização do Património Cultural da Região de Alcobaça
Apartado 200
2461 ALCOBAÇA CODEX

ADERE - Associação em Defesa da Região do Estoril
Av. da Dinamarca, 286 - Estoril
2765 CASCAIS

ADPBeja - Associação para a Defesa do Património Cultural da Região de Beja
Rua Capitão Francisco de Sousa-1º
7800 BEJA
Tel.: 284325091

ADPM - Associação para o Estudo e Defesa do Património Natural e Cultural do Concelho de Mértola
Largo Vasco da Gama
7750 MÉRTOLA
Tel.: 28661000

ADPM - Associação de Defesa da Praia da Madalena
Apartado 257
4401 VILA NOVA DE GAIA CODEX
Tel.: 227125849
www.adpm.org

ADPSA - Associação de Defesa do Património da Serra da Aboboreira
Casa da Lameira
4635-203 FOLHADA
e-mail: saboboreira@yahoo.com

ADR - Associação de Desenvolvimento Regional Caldas da Rainha
Rua Eng° Cancela de Abreu, 7 - 1° Dt° - Apartado 84
2500 CALDAS DA RAINHA

AEP - Associação Eurocoast - Portugal
a/c Instituto Hidráulica Recursos Hídricos - Faculd. Engª
Porto - Rua das Bragas
4099 PORTO
paginas.fe.up.pt/eurcoast

AESDA - Associação de Estudos Subterrâneos e Defesa do Ambiente
Apartado 20
2561 TORRES VEDRAS CODEX

AFURNA - Associação dos Antigos Habitantes de Vilarinho da Furna
Museu Etnológico de Vilarinho da Furna
4840 TERRAS DO BOURO
www.citidep.pt/ngo/afurna

AGROBIO - Associação Portuguesa de Agricultura Biológica
Calçada da Tapada, 39 – R/C Dto
1300-545 Lisboa
Tel: 21 364 13 54 / 21 362 35 85
Fax: 21 362 35 86
e-mail: agrobio@agrobio.pt
www.agrobio.pt

Água Triangular - Associação dos Ambientalistas da Bacia Hidrográfica do Rio Vouga
Apartado 67
3800 AVEIRO

AJPF - Associação de Jovens da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa -
Rua Dr. Miguel Bombarda, 6 r/c Dto. - Póvoa de Sta. Iria
2625 VILA FRANCA DE XIRA

Alambi - Associação para o estudo e defesa do ambiente do concelho de Alenquer
Apartado 63
2580-909 Alenquer
Tel.: 914023930
www.alambi.net

ALMARGEM - Associação de Defesa do Património Cultural e Ambiental
Alto de S. Domingos, 14 - Apartado 251
8101 LOULÉ CODEX
www.almargem.org

AMA - Associação de Montijo e Alcochete para a Defesa da Qualidade de Vida
a/c Eng. Samuel Lupi - Câmara Municipal de Alcochete
2890 ALCOCHETE
Tel.: 212315804

Amigos da Beira - Associação de Defesa do Património e Ambiente e do Consumidor
Rua João Mendes, 51 - r/c Esq°
3500 VISEU

Amigos da Vida Selvagem - Clube Bio-Ecológico
Biblioteca Municipal de Alcanena
2380 -ALCANENA

Amigos de Milfontes - Associação para a Defesa do Património Cultural e do Ambiente
Apartado 26
7645 VILA NOVA DE MILFONTES

Amigos do Mar - Associação Cívica para a Defesa do Mar
Apartado 533
4901 VIANA DO CASTELO CODEX

Amigos dos Açores - Associação Ecológica
Sede da Junta de Freguesia do Pico da Pedra
Avenida da Paz, 14
Tel.: 296498004
Fax: 296498006
e-mail: amigosdosacores@mail.telepac.pt
virtualazores.com/amigosdosacores

AMIHCOL - Associação do Arraiano e Arrebalde Termo Oriental das Portas do Tejo e Lisboa
Rua Afonso Annes Penedo, 44 r/c porta 4
1900 LISBOA

AMILEÇA - Associação dos Amigos do Rio Leça
Lg. de S. Sebastião, 864 - Leça do Balio
4465 S. MAMEDE DE INFESTA

ANATA - Associação dos Naturais e dos Amigos de Águeda
Rua Luís de Camões, 12- 1° - Apartado316
3751 ÁGUEDA CODEX
Tel.:234625800
http://www.anata.pt

APAC - Associação Portuguesa dos Amigos dos Caminhos-de-Ferro
Centro Comercial Terminal - Estação do Rossio
1200 LISBOA
apac.cp.pt

APAI - Associação Portuguesa de Arqueologia Industrial
Rua de Arroios, 96 - 3° Esq.
1150-056 LISBOA
Tel.: 213555367
apaiportugal@hotmail.com
apai.cp.pt

APAM - Associação Protectora Amigos do Maçãs
Ouintanilha
5300 BRAGANÇA
Tel.: 273939424
www.apamnet.com

APASADO - Associação de Protecção Ambiental do Sado
Rua Eng. João Alves de Sá Branco Lote 2, Loja 3
7580-161 ALCÁCER DO SAL
Tel.: 265 619 180
Fax: 265 619 181
E-mail: apasado@mail.telepac.pt
www.apasado.com

APDA - Associação Portuguesa para o Direito do Ambiente
Rua S. Marçal, 77
1200 LISBOA
Tel.: 214353810

APEA - Associação Portuguesa de Engenheiros do Ambiente
Rua Cidade da Horta, 14 B - sala 22
1000 LISBOA
Tel.: 213520305
www.apea.pt

APEMETA - Associação Portuguesa de Empresa de Tecnologias Ambientais
Campo Grande, 294 - 3° Dto.
1700 LISBOA
Tel.: 217576174
www.apemeta.pt

APG - Associação Portuguesa de Geólogos
Rua da Academia da Ciências, 19-2º
1200 Lisboa
Tel.: 213477695
www.apgeologos.pt

APGVN - Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza
Olho de Boi - Apartado 131 Cova da Piedade
2806 ALMADA CODEX
homepage.oninet.pt/295mzf

APQVPRF - Associação Promotora da Qualidade de Vida de Paçó de Rio Frio
Paçó de Rio Frio
5300 BRAGANÇA
apqvprf.com.sapo.pt

APRH - Associação Portuguesa dos Recursos Hídricos
Av. do Brasil, 101 - a/c LNEC
1799 LISBOA CODEX
Tel.: 218443000
www.aprh.pt

A.R.P.A. - Associação para a Recuperação do Património de Arruda
Rua Cândido dos Reis, 54 r/c
2630 ARRUDA DOS VINHOS

ARPPA - Associação Regional de Protecção do Património Cultural e Natural
Rua do Heroísmo, 6
4300 PORTO

ASE Associação Cultural - Amigos da Serra da Estrela
Rua General Póvoas, 7 - 1°
6260 MANTEIGAS
Tel. / Fax: 275982447
e-mail: asestrela@clix.pt
www.ase.serradaestrela.com

ASPEA - Associação Portuguesa de Educação Ambiental
Apartado 4021
1501 LISBOA CODEX
Tel.: 217724827
www.aspea.org

Associaçao-Ambiente Universal
Rua da Ribeira, 14 - Rosário
7700 ALMODÔVAR
Tel.: 286954021

Associação Amigos do Rio Ovelha
Várzea de Ovelha e Aliviada
4630 Marco de Canaveses
TM: 918 397 991
e-mail: rio.ovelha@oninet.pt
www.geocities.com/rioovelha

Associação Bandeira Azul da Europa
Edifº Bartolomeu Dias, n° 11 - 1° - Gab. 8 - Doca de Alcântara
1350 LISBOA
tel: 213957234
www.abae.pt

Associação da Juventude em Defesa do Património Histórico-Cultural e Natural de S. Jorge
Apartado 18
9800 VELA - S. JORGE

Associação de Defesa da Nazaré
Rua Nova da Areia, 35
2450 NAZARÉ
Tel.:262562216

Associação de Defesa do Ambiente de S. Martinho do Porto
Rua Profº Eliseu, 2
2465 S. MARTINHO DO PORTO

Associação de Defesa do Ambiente do Concelho da Marinha Grande
Rua de Pereira Crespo, 25 - 1°
2430 MARINHA GRANDE

Associação de Defesa do Ambiente e Desenvolvimento da Serra do Caramulo
Casa das Lousas
3475 CARAMULO
Tel.: 23286204

Associação de Defesa do Património Cultural de Monte Redondo
Museu Etnológico de Monte Redondo - Eiras
2425 MONTE REAL

Associação de Defesa do Património Cultural de Pombal
Rua da Torre do Relógio-Velho - Apartado 136
3100 POMBAL
Tel.: 236218664

Associação de Defesa do Património Cultural e Natural de Penha Garcia
Casas Etnográficas
6085 MEDELIM

Associação de Defesa do Património de Sintra
Apartado 17 - Sintra Vila
2710 S1NTRA

Associação de Estudos e Defesa do Património Histórico-Cultural da Covilhã
Tv. do Raimundo, 10
6200 COVILHÃ

Associação de Estudos e Defesa do Património Histórico-Cultural de Santarém
Rua 1° de Dezembro, 1 - 1°
2000 SANTARÉM

Associação de Estudos e Defesa do Património Histórico-Cultural de Silves
Rua do Mirante, 22
Apartado 57
8300-999 SILVES
Tel.: 966345976
Fax: 282442447
e-mail: patrimoniosilves@hotmail.com

Associação de Moradores da Quinta da Carreira
Rua Egas. Moniz, 285 r/c Esq. - São João do Estoril
2765 ESTORIL

Associação de Protecção da Natureza do ConceIho de Trancoso
Apartado 43 - Vila Garcia
6420 TRANCOSO

Associação Defesa do Ambiente Ribatejano
Rua Direita de S. Pedro, 152
2140 Chamusca
Tel.: 24976041

Associação dos Amigos da Casa-Museu dos Patudos
Rua José Relvas - Casa Museu dos Patudos
2090 ALPIARÇA

Associação dos Amigos da Ria de Alvor
Monte Serrabodes - Quinta da Rocha CCI 824 - Mexilhoeira Grande
8500 PORTIMÃO

Associação dos Amigos do Parque Biológico Municipal de Gaia
Parque Biológico Municipal de Gaia - Avintes
4400 VILA NOVA DE GAIA

Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal
Jardins do Monte
9050 FUNCHAL

Associação dos Amigos do Rio Douro
Rua 31 de Janeiro, 165 - 2° - Apartado 5253
4021 PORTO CODEX

Associação dos Amigos do Rio Minho
Rua de S. João, 52 - Apartado 42
4910 CAMINHA

Associação MARE NOSTRUM
Tel.: 213156571

Associação para a Defesa da Cultura Arouquense
Mosteiro de Arouca - Largo de Santa Mafalda
4540 AROUCA

Associação para a Defesa do Ambiente e Cultura do Carvalhal
Rua da Filarmónica - Sede da Junta de Freguesia
2540 CARVALHAL

Associação para a Defesa do Ambiente no Concelho de Vila do Conde
Rua Costa Padrão, 290 - Mosteiró
4480 VILA DO CONDE

Associação para a Defesa e Divulgação do Património Cultural de Torres Vedras
Rua Conde Tarouca, 14 r/c - Apartado 50
2561 TORRES VEDRAS CODEX

Associação para a Defesa e Valorização do Património Natural e Cultural da Região de Torres Novas
Largo do Paço
2350 TORRES NOVAS
Tel.: 24922689

Associação para o Estudo e Defesa do Património Cultural e Natural do Concelho de Coruche
Praça da Liberdade, 13 - Apartado 23
2100 CORUCHE

Associação para o Estudo e Defesa do Património Natural e Cultural da Região de Alenquer
Calçada Francisco Carmo, 23
2580 ALENQUER

Associação para o Estudo e Defesa do Património Natural e Cultural da Região do Cadaval
Rua Padre José Inácio Pereira - Antigo Edifício da Câmara
2550 CADAVAL

Associação Portuguesa das Casas Antigas
Rua de São Julião, 11 - 1° Esq.
1100 LISBOA
www.ap-casas-antigas.pt

Associação de Recuperação do Casal Novo - Lousã
Grupo de Proprietários de Casas de Xisto na aldeia serrana do Casal Novo (altitude 500/550 m.)
Tel.: 239996510
Fax: 239996512
Tm.: 966714997
e-mail: casal_novo@clix.pt
casalnovo.planetaclix.pt

ASPA - Associação para a Defesa, Estudo e Divulgação do Património Cultural
Apartado 78
4711-909 BRAGA
e-mail: info@aspa.pt
www.aspa.pt

AVIS - Associação para o Debate de Ideias e Concretizações Culturais de Viseu
Apartado 107
3501 VISEU CODEX

AZERT - Associação de Defesa do Ambiente
Quinta das Andorinhas - Loja n°1
4700 BRAGA

Azimute - Associação de Desportos de Aventura, Juventude e Ambiente
Apartado 85, 5301-901 Bragança
Tel.: 969652020
e-mail: azimute@portugalmail.com
www.azimute.net

AZORICA - Associação de Defesa do Ambiente
Apartado 155
9901 HORTA CODEX
Tel.: 292391040
azorica.no.sapo.pt

BEIRAMBIENTE - Centro Profissional de Desenvolvimento Sustentável e Eco-Turismo
Vila Soeiro
6300-270 Guarda
Tel.: +351 271 591 412
Fax: +351 271 591 388
e-mail: info@beirambiente.pt
azorica.no.sapo.pt

CAAL - Clube de Actividades de Ar Livre
Centro Associativo do Calhau - Parque Florestal de Monsanto
15OO LISBOA
Tel.: 21 778 83 72
Fax: 21 778 83 67
e-mail: caal@mail.telepac.pt
www.clubearlivre.org

CARDA - Comissão Anti-Ruído e Defesa do Ambiente
Apartado 104
4415 CARVALHOS

CARNIVORA - Núcleo de Estudos de Carnívoros e seus Ecossistemas
Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
Departamento de Biologia Animal
Campo Grande, Edifício C2, Piso 3,
1749-016 Lisboa
e-mail: carnivora@fc.ul.pt
carnivora.fc.ul.pt

CBE - Centro de Biomassa para a Energia
Zona Industrial de Vale Feijão
Apartado 49
3220 - 119 Miranda do Corvo
Tel.: +351 239 532 436/88
Fax: +351 239 532 452
e-mail: cbe@mail.telepac.pt
cbe.do.sapo.pt

CEAI - Centro de Estudos da Avifauna Ibérica
R. do Raimundo, 119
Apartado 535
7002-506 Évora
Tel.: 266746102
Fax. 266745782
info@ceai.rcts.pt
www.ceai.rcts.pt

CEEA - Comunidade Ecológica Europeia do Ambiente
Costa - Outeiro
4900 VIANA DO CASTELO

Cegonha - Associação de Defesa do Ambiente de Estarreja
Apartado 100
3860 ESTARREJA
www.ieeta.pt/~mos/cegonha

Centro Cultural de Figueiró dos Vinhos
Av. José Malhoa - Apartado 29
3260 FIGUEIRÓ DOS VINHOS

Centro Cultural Roque Gameiro - Núcleo de Ecologia "Tá-de-pé"
Rua Elias Garcia, 42 - Quinta de S. Miguel
2700 AMADORA
Tel.: 214743142

Centro de Arqueologia de Almada
Apartado 603 - Pragal
2801 ALMADA
Tel.: 212766975
sapp.telepac.pt/almadan

Centro Falco - Associação Científica para a Reprodução das Aves de Presa
Vila Falco - Cabêda
2590 SOBRAL DE MONTE AGRAÇO
centrofalco.no.sapo.pt

Centro Pinus - Associação para a valorização da floresta de pinho
Rua do Campo Alegre, 823 (IBMC)
4150-180 Porto
Tel.: 226067256
www.centropinus.org

CEPGA - Centro Estudos de Planeamento e Gestão do Ambiente
Monte Caparica
Tel.: 212941865

CER - Centro de Estudos Regionais
Lg. do Instituto Histórico do Minbo, 20/22 - r/c
4900 VIANA DO CASTELO
Tel.: 258828192

Circulo de Estudo e Defesa do Património Histórico-Cultural do Concelho do Montijo
Rua Almirante Cândido dos Reis, 23 - 1°
2870 MONTIJO
Tel.: 2311398

CLAPA - Comissão de Luta Anti-Poluição do Alviela
Associação Popular Ecológica
Torre do Relógio
2000 PERNES

Clube de Biologia e Geologia Serra de São Mamede
Apartado 136
7300-090 PORTALEGRE CODEX
Tel.: 245207487
Fax: 245207487
e-mail: info@clube-bio-geo-serra-s-mamede.rcts.pt
www.clube-bio-geo-serra-s-mamede.rcts.pt/main.htm

Clube de Montanhismo da Arrábida
Alameda do Pinheiro, nº 6 CV - Tz 2910 – Setúbal
Apartado 238
2902 SETÚBAL
Tel. / Fax: 265724345
e-mail: cma@cmarrabida.org
www.cmarrabida.org

Clube de Vela/Aquário de Viana
Azenhas do Prior - Apartado 154
4901 VIANA DO CASTELO CODEX

CNE - Corpo Nacional de Escutas
Rua D. Luís I, 34A
1200 LISBOA
tel: 213972015
www.cne-escutismo.pt

COREMA - Associação de Defesa do Património
Apartado 40
4910 CAMINHA
Tel.:258721639

CPADA - Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente
Rua Ferreira Lapa, 25, r/c
1150-155 Lisboa
Tel./Fax: 213542819
www.cpada.pt

CPAS - Centro Português de Actividades Subaquáticas
Rua Alto do Duque, 45
1400 LISBOA
Tel.: 213030744
www.cpas.pt

ECO-QUELUZ - Associação de Defesa do Ambiente e do Património
Av. D. António Correia de Sá,45 - 7° Dto.
2745 QUELUZ

ECOESA - Associação de Ecologia da Escola Superior Agrária
Mosteiro de Refoios do Lima
4990-706 Ponte de Lima
Tm.: 964817477 / 938294668
e-mail: ecoesa@esapl.pt
www.ci.esapl.pt/ecoesa

ECOESTE - Fórum de Ambiente da Região do Oeste
Apartado 355
2500 CALDAS DA RAINHA
Tel.: 262880537

Espeleo Clube de Torres Vedras
Rua Santos Bernardes, 13 - 1° - Apartado 128
2561 TORRES VEDRAS CODEX
Tel.:261338255

FAPAS - Fundo para a Protecção dos Animais Selvagens
Rua Alexandre Herculano,371 - 4° Dto.
4000 PORTO
tel: 222002472
www.fapas.pt

Fário - Associaçao Ambientalista
Ribeira Cimeira
3330 GÓIS

Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta
Rua Ferreira Lapa, nº25, R/C (ao Conde Redondo)
1150-155 LISBOA
Tel.: 213159648
Fax: 213561253
e-mail: fpcubicicleta@sapo.pt
www.fpcubicicleta.com

FEP - Frente Ecológica Portuguesa
Rua Nova da Trindade, 1 - 4° Frente
1200 LISBOA
Tel.: 213465760

FINISTERRA - Associação Cultural de Arouca
Av. Movimento das Forças Armadas
4540 AROUCA

FRAGAS - Associaçao de Divulgação e Protecção do Património
Mercado Municipal, Loja 50
5340 MACEDO DE CAVALEIROS

GAAC - Grupo de Arqueologia e Arte do Centro
Centro
Pátio do Castilho, 30
3000-130 Coimbra
Tel.: 239827624
Fax: 239827624
e-mail: mail@gaac.pt
www.gaac.pt

GAIA - Grupo de Acção e Intervenção Ambiental
Associação de Estudantes - Faculdade de Ciências e Tecnologia
2825 Monte da Caparica
Presidente - Bernardo Taneco: 0936 6326482
Fax: 01 2537025
gaia.org.pt

GAIVOTA - Associação de Defesa do Ambiente da Freguesia de Apúlia
Rua do Silva, 31
4740 ESPOSENDE
www.apulia-ascra.com/pagina_secundarias/associacoes_locais/gaivota.htm

GAMA - GRUPO de Amigos da Serra do Mendro-Alentejo
Rua dos Mercadores, 18
7960 VIDIGUEIRA
Tel.: 284436073

GARC - Grupo de Amigos do Rio Ceira
Segade- Semide
3220 MIRANDA DO CORVO

GÊ-QUESTA - Associaçao de Defesa do Ambiente
Apartado 326
9700 ANGRA DO HEROÍSMO
e-mail: info@gequesta.org
gequesta.no.sapo.pt

GEAP - Grupo de Estudos Arqueológicos do Porto
Rua António Cardoso, 175
4100 PORTO
www.geocities.com/geap1

GEC - Grupo Ecológico de Cascais
Monte do Alto Marinho
Almoinhas Velhas
Malveira da Serra
2750 Cascais
Contactos: 01 4872646 (Carlos Lemos), 01 4833793 (Ana Pedro), 4431176 (Cláudia Gigliotti)

GEDA - Grupo de Ecologia e Desportos de Aventura
Rua 25 de Abril, Pavilhão (Rui Nabeiro) Apartado 105
7370 Campo Maior
Tel. / Fax: 268689378
geda_atalaya@yahoo.com
go.to/geda

GEN - Grupo Ecológico Natureza
Casa Municipal de Cultura de Fafe - R. Major Miguel Ferreira - Apartado 69
4820 FAFE

GEOTA - Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente
Trv. do Moinho de Vento, 17 - Cv Dto.
1200-727 LISBOA
Tel.: 213956120
e-mail: geota@geota.pt
www.geota.pt

Geração Verde - Associação Jovem de Defesa do Ambiente Centro Paroquial de Stª. Margarida
Av. J. J. Fernandes
2835 LAVRADIO

GIR - Grupo Intersectorial da Reciclagem
Rua D. Estefania, 32 - 2°
1000 LISBOA
Tel.: 213531937

Grupo Camaleão - Associação de Defesa do Ambiente de Castro Marim e Vila Real de Santo António
Av das Comunidades - Apartado 221
8900 VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO

Grupo de Cicloturismo "Kid Carcaça" - Associação de Jovens Ambientalistas de Queluz
Av. Elias Garcia, 102 - 1° Dt°
2745 QUELUZ
Tel.: 214360367

Grupo de Pesquisa e Informação
Gualter Barbas Baptista
Tm: 91 9090807

Grupo de Promoção Sócio-Cultural de Montargil
Rua Luís de Camões
Apartado 2
7425 MONTARGIL

Grupo dos Amigos de Montemor-O-Novo
Convento de S. Domingos
7050 MONTEMOR-O-NOVO
Tel.: 266890235

Grupo dos SES
Ana Dias Rodrigue
Tm: 96 2961406

Grupo dos 3 R´s
Helder Fábio Ferreira
Tm: 96 2837713

Grupo Lobo - Associação para Conservação do Lobo e do seu Ecosistema
Depart. Zoologia Antropologia - Faculd. Ciências, Univers. Lisboa - Edifº C 2, 3° piso Campo Grande
1700 LISBOA
Tel.: 217573141
lobo.fc.ul.pt

Grupo Lontra - Associação de Defesa do Ambiente de Santo André
bA: Centro Ambiental do Moinho Novo - Galiza
7500 SANTO ANDRÉ

Grupo Verde
Mafalda Sofia Mota
Tm: 96 2684049

GUEEA - Grupo Universitário de Évora de Estudos do Ambiente
Departamento de Ecologia da Universidade de Évora
Largo dos Colegiais
7000 ÉVORA
Tel.: 066-25572/3/4 ext. 262

ICOMOS - Comissão Nacional Portuguesa do Conselho Internacional dos Monumentos e dos Sítios
Lg. Academia Nacional de Belas Artes, 2 - 2°
1200 LISBOA

IDARC - Instituto para o Desenvolvimento Agrário da Região Centro
Rua Infanta D. Maria, bloco r-r/c
3030 Coimbra
Tel.: 239793940

IDARN - Instituto para o Desenvolvimento Agrário da Região Norte
Rua de St. Catarina, 741
4050 Porto
Tel.: 222003577
www.idarn.pt

IN LOCO - Associação de Intervenção, Formação e Estudos para o Desenvolvimento Local
Rua da Marinha, 8 - 1° - Apartado 603
8000 FARO
www.in-loco.pt

LAC - Liga de Amigos de Conimbriga
Museu Monográfico de Conímbriga
3150 CONDEIXA
Tel.: 239944764
www.lac.pt

LACAM - Liga dos Amigos dos Campos do Mondego
Rua Prof. Júlio Ferrão de Carvalho - Carapinheira
3000 MONTEMOR-O-VELHO

LAIA - Associaçao de Defesa da Ilha da Armona
Apartado 505
8706 OLHÃO CODEX

LASA - Liga dos Amigos de Setúbal e Azeitão
Apartado 292
2903 SETÚBAL Codex
Tel.: 265235000
www.lasa.pt

Liga de Defesa dos Animais do Distrito de Coimbra
Rua Bernardo de Albuquerque, 96
3000 COIMBRA

Liga dos Amigos da Ericeira
Rua Prudêncio Franco da Trindade, 19 - 1° - Apartado 50
2655 ERICEIRA

LISBOAZUL - Associação para a Ecologia Urbana
Rua da Madalena, lote 789 - 1° Esq° - B° Fraternidade
2685 SACAVÉM

Loendro - Associação de Defesa do Ambiente do Concelho do Alandroal
Rua de Estremoz, 6 - Terena
7250 ALANDROAL

Lourambi - Associação para a Defesa do Ambiente do Concelho da Lourinhã
Apartado 48
2530 LOURINHÃ

LPDA - Liga Portuguesa dos Direitos do Animal
Rua João Ortigão Ramos, 31 - Estúdio Dto.
1500 LISBOA
Tel.:214581818
www.lpda.pt

LPN - Liga para a Protecção da Natureza
Estrada do Calhariz de Benfica, 187
1500-124 LISBOA
Tel.: 217780097
e-mail: lpn.natureza@mail.telepac.pt
www.lpn.pt

LPPS - Liga Portuguesa de Profilaxia Social
Rua de Santa Catarina, 108
4000 PORTO
Tel.: 222087936
www.lpps.pt

Mar Azul - Liga Ambiental para a Educação Juvenil e Ciências do Mar
Av. Tomás Ribeiro, 31 - Apartado 277
2795 LINDA-A-VELHA

MOLINA - Movimento para a Defesa do Rio Lima
Rua do Arrabalde, 109
4990 PONTE DE LIMA

Movimento Ecológico Baden Powel
Lugar das Laginhas - Edifº Junta Freguesia
4780 VILARINHO STS

Mudar - Movimento Unido na Defesa do Ambiente Regional
Lugar da Grandra - Deão
4905 BARROSELAS

NAIAA - Núcleo Amador de Investigação Arqueológica de Afife
Lugar do Cruzeiro
Afife
4900 VIANA DO CASTELO
Tel.: 258981659

NDMALO-GE - Núcleo de Defesa do Meio Ambiente de Lordelo do Ouro - Grupo Ecológico
Rua de Penoucos, 403
4100 PORTO

NECTAR - Núcleo de Estudos de Ciências e Tecnologia do Ambiente
Sede: Rua do Campo Alegre, nº 657
Freguesia de Massarelos, Concelho do Porto
4150-179 PORTO
e-mail provisório: nectar@mail.pt
nectar.no.sapo.pt

NEUA - Núcleo de Espeleologia da Associação Académica da Universidade de Aveiro
Campus Universitário de Santiago
3810 AVEIRO
www.neua.org

NOSTRUM - Associação de Defesa do Património Ambiental
Rua 15 de Agosto, nº 8 - B
2500-275 CALDAS DA RAINHA
e-mail: nostrum_@sapo.pt
www.nostrum.web.pt

NPEPVS - Núcleo Português de Estudo e Protecção da Vida Selvagem
Bairro Fundo Fomento de Habitação (COXA) Bloco D r/c - Apartado 26
5300 BRAGANÇA
Tel.: 273324632
www.bragancanet.pt/npepvs/index.html

NRIA - Núcleo Regional de Investigação Arqueológica/Associação de Estudos do Alto Tejo
Av. da Bela Vista, 160
6030 VILA VELHA DE RODÃO

NUCEARTES - Núcleo de Estudos e Artes do Vale do Âncora
Av. do Centro Cívico
4910 VILA PRAIA DE ÂNCORA

Núcleo Cicloturista de Sesimbra - Associação de Defesa do Ambiente
Vivenda Malibu - Casais de Santana- Santana
2970 SESIMBRA

Núcleo dos Amigos do Concelho de Barrancos
Casa do Alentejo - Rua Portas de Santo Antão, 58
1100 LISBOA
Tel.: 213469231

O RIO NEIVA - Associação de Defesa do Ambiente
Antas
4740 ESPOSENDE

Observatório do Ambiente
Rua Ferreira à Lapa, 25 - r/c
ll50LISBOA
Tel.: 213153531

OIKOS - Associação de Defesa do Ambiente e do Património da Região de Leiria
Rua Dr. Correia Mateus, 21 - 1°
2400 LEIRIA

Onda Verde - Associaçao Juvenil de Ambiente e Aventura
Rua 5 de Outubro, 193
4430 AVINTES
Tel.: 227822353

ORCAS DA MAIA - Associação para a Defesa do Património Natural e Cultural da Maia
Rua Joaquim Ferreira da Costa,530
4470 MAIA

Ordem dos Arquitectos
Tv. do Carvalho, nº 23
1200 LISBOA
Tel.: 213241100
e-mail geral: cdn@ordemdosarquitectos.pt
www.ordemdosarquitectos.pt

Ordem dos Biólogos
Rua José Ricardo, 11-2º esqº
1900 Lisboa
Tel.: 218401876
www.ordembiologos.pt

Os Montanheiros - Sociedade de Exploração Espeleológica
Rua da Rocha, 6/8
9700 ANGRA DO HEROÍSMO

PATO - Associação de Defesa do Paúl de Tornada
Largo do Rossio - Tornada
2500 CALDAS DA RAINHA

PINUS - Associacão de Defesa do Ambiente de Sermonde e Serzedo
Edifº da Junta de Freguesia de Sermonde - Rua de Sermonde, 126
4415 SERMONDE

Planeta Verde - Associação para a Proteccão e Defesa da Floresta
Estrada do Calhariz de Benfica, 187
1500 LISBOA
Tel.: 217743542

Projecto Arqueológico da Região de Moncorvo
Casa das Associações - Rua Infante D. Henrique
5160 MONCORVO

Projecto Palhota Viva
Palhota
2070-502 Valada
Tel.: 243749577
Telm.: 919227275
e-mail: palhotaviva@gmail.com
www.palhotaviva.pt

QUERCUS - Associação Nacional de Conservação da Natureza
Apartado 4333
1503-003 LISBOA
Tel.: 217788474
Fax: 21778774974
e-mail: quercus@quercus.pt
www.quercus.pt

Real 21 - Associaçao de Defesa do Rio Real
Quinta da Granja
2540 BOMBARRAL
www.real21.org

Real Instituto Arqueológico de Portugal
Praça Rainha D. Filipa, 4 - 6° Dto.
1600 LISBOA
Tel.: 917327305

Real Sociedade Arqueológica Lusitana
Pç. Conde do Bracial, 3
Apartado 125
7540 SANTIAGO DO CACÉM
Tel.: 069826380

SAPAL VERDE - Associação dos Naturais de Castro Marim
Rua são Gonçalo de Lagos - Apartado 22
8950 CASTRO MARIM

Senhores Bichinhos - Associação de Protecção aos Animais
Rua do Rodelo, 164
4400 VILA NOVA DE GAIA

S.O.S. Lynx
e-mail: sos.lynx@clix.pt
www.soslynx.org

SPCF - Sociedade Portuguesa de Ciências Florestais
Tapada da Ajuda
1300 Lisboa
Tel.: 3634667
www.spcf.pt

SPE - Sociedade Portuguesa de Espeleologia
Rua Saraiva de Carvalho, 233, 1º
1350 LISBOA
Tel.: 213966291
e-mail: spe.nacional@clix.pt
spe.planetaclix.pt

SPE - Sociedade Portuguesa de Etologia
ISPA
Rua Jardim do Tabaco, 34
1149-041 Lisboa
Portugal
Tel.: 21 881 17 00
Fax: 21 886 09 54
e-mail: spe@ispa.pt
http://www.ispa.pt/spe

SPEA - Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves
Rua da Vitória, 53-2ºdtº
1100 Lisboa
Tel.: 213431847
www.spea.pt

SPECO - Sociedade Portuguesa de Ecologia
Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa
Edifício C4 - 4º Piso Campo Grande
1749-016 LISBOA
Tel./Fax: 217 500 439
speco.fc.ul.pt

SPER - Sociedade Portuguesa de Estudos Rurais
Depart.Econ. Agrária e Soc. Rural do ISA-Tapada da Ajuda- a/c Profº Castro Caldas
1300 LISBOA
Tel.: 213638161

SubTerra - Grupo de Espeleologia
Bairro de Santo António - Rua Padre C. A. Mendes, n° 17 - r/c
2350 TORRES NOVAS

Terra Azul - Associação Nacional para a Educação e Protecção do Ambiente
Apartado 1115
2775 PAREDE CODEX

Terras de Lanhoso - Associaçao de Defesa do Ambiente
Apartado 126
4830 LANHOSO

URBE - Núcleos Urbanos de Pesquisa e Intervenção
Rua do Conde Redondo, 117 - 3°
1200 LISBOA
www.urbe-nupi.pt

terça-feira, 22 de agosto de 2006

Arte Cerâmica e Educação Ambiental


Curiosamente, até nem foi muito difícil à Teresa, minha mulher, ter encontrado um site onde eram indicadas IDEIAS PARA UM CERAMISTA ECOLOGICAMENTE CORRECTO. Isso já foi há já alguns meses, antes de ter o blogue Terras de Argila.
Entretanto a Teresa falou-me do ceramista Ricardo Casimiro pois as suas obras são artisticamente muito arrojadas e informou-me que era, como eu, grande admirador de H. Bosch e que, como eu, é bastante bem humorado. Entrei em contacto com ele informando-o seu admirador das obras e como um blogueiro comum, convidei-o a conhecer o Bioterra.
Qual não foi o meu espanto e gratidão enorme, que recebo um seu email (que reproduzo mais abaixo e onde o autor explica os pormenores da sua peça) em conjunto com imagens de uma peça sua, que apelidou de TRANSGÉNICO e que as coloquei em forma de slideshow.
Portanto a Arte Cerâmica está de mãos dadas com o Ambiente e a Educação Ambiental.
O contributo da Teresa e do R. Casimiro embelezaram ainda mais o BioTerra.

O João Soares,
Obrigado pelo seus comentários sobre os meus trabalhos em cerâmica. Também eu sou um cidadão consciente e preocupado com as questões do ambiente e não só. Assim na qualidade de ceramista executei uma peça sobre o tema. Esta peça chama-se Transgénico , trata-se de uma figura meio humana cuja cabeça é simbolicamente um grão de bico modificado que leva pela mão um seu descendente, esse sim com umas pernas ambíguas e meio cego o que para mim representa o desconhecido futuro dos transgénicos. O corpo da figura é apresentado de fato e na zona da braguilha é visível a forma de um sexo masculino. Significando isso andam para aí uns senhores de fatinho e falas mansas a tentarem lixar-nos. Essa peça faz parte das minhas preferidas, nunca mostradas publicamente e vistas por muito poucas pessoas. Envio-lhe fotos da peça em questão e autorizo-o a usá-las no seu blogue desde que mencione o autor da peça.
Um abraço amigo.
Ricardo Casimiro

segunda-feira, 21 de agosto de 2006

Sobre o Poema do Dia, na Página do Ambiente da Confagri

Sampa

Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e Av. São João
É que quando eu cheguei por aqui eu nada entendi
Da dura poesia concreta de tuas esquinas
Da deselegância discreta de tuas meninas
Ainda não havia para mim Rita Lee
A tua mais completa tradução
Alguma coisa acontece no meu coração
Que só quando cruza a Ipiranga e Av. São João

Quando eu te encarei frente a frente e não vi o meu rosto
Chamei de mau gosto o que vi, de mau gosto, mau gosto
É que Narciso acha feio o que não é espelho
E à mente apavora o que ainda não é mesmo velho
Nada do que não era antes quando não somos mutantes
E foste um difícil começo
Afasto o que não conheço
E quem vem de outro sonho feliz de cidade
Aprende depressa a chamar-te de realidade
Porque és o avesso do avesso do avesso do avesso

Do povo oprimido nas filas, nas vilas, favelas
Da força da grana que ergue e destrói coisas belas
Da feia fumaça que sobe, apagando as estrelas
Eu vejo surgir teus poetas de campos, espaços
Tuas oficinas de florestas, teus deuses da chuva
Pan-Américas de Áfricas utópicas, túmulo do samba
Mas possível novo quilombo de Zumbi
E os novos baianos passeiam na tua garoa
E os novos baianos te podem curtir numa boa

Caetano Veloso


De forma persistente e continuada, a página do Ambiente da Confagri saúda os seus leitores com Poemas.
Já transmiti pessoalmente à Cátia Rosas o meu agradecimento e desejos que esta iniciativa nunca acabe.
Tenhamos confiança que a Arte e os Autores serão compreendidos mais tarde ou mais cedo pelos nossos jovens e também nós professores/educadores sejamos eficientes e capazes, sem medo de lhes dizer cara a cara o porquê do nosso maior respeito que temos pela Arte e pelos Autores, o que nos ensinam, que são nossos companheiros e amigos e quantas vezes foram e são auxiliares na dor, na nossa incompreensão, dando-nos pistas, soluções que não encontramos nos cartões de crédito nem em futilidades ou nesta época de entretenimento e felicidade aqui e agora...
E os jovens irão (re)aprender...Tenho felizmente muitos exemplos disso.
De um sorriso atento e dedicado nos devolvem!
Até dos pais...
Penso que a crise da Educação que atravessamos,como todas, é passageira ...sejamos positivos na acção.
Mantenhamos em nossas mãos e coração a vela acesa da Arte, do Poema, da História e da Ecologia.

sábado, 19 de agosto de 2006

Elis Regina - Agnus Sei




Faces sob o sol, os olhos na cruz
Os heróis do bem prosseguem na brisa da manhã
Vão levar ao reino dos minaretes a paz na ponta dos arietes
A conversão para os infiéis


Para trás ficou a marca da cruz
Na fumaça negra vinda na brisa da manhã
Ah, como é difícil tornar-se herói
Só quem tentou sabe como dói vencer Satã só com orações
Ê andá pa Catarandá que Deus tudo vê
Ê andá pa Catarandá que Deus tudo vê
Ê anda, ê ora, ê manda, ê mata, responderei não!


Dominus dominium juros além
Todos esses anos agnus sei que sou também
Mas ovelha negra me desgarrei, o meu pastor não sabe que eu sei
Da arma oculta na sua mão


Meu profano amor eu prefiro assim
À nudez sem véus diante da Santa-Inquisição
Ah, o tribunal não recordará dos fugitivos de Shangri-Lá
O tempo vence toda a ilusão

sexta-feira, 18 de agosto de 2006

Crónica de uma viagem pela Europa Central

Todas as cidades que visitei e foram 5 (Berlim, Dresden, Praga, Viena e Budapeste) apresentam particularidades especiais.Em comum todas foram palco de invasões,sofreram ciclos de destruição e renovação por causa de guerras.
Os edifícios dessas cidades são museus vivos.
Dresden foi brutal e estupidamente destruída pelos ingleses já quase no fim da II Guerra Mundial.
Algumas foram sede de impérios (Viena) e outras de divisões políticas e muros (Berlim)....

Em Berlim está quase tudo duplicado:duas bibliotecas nacionais,dois jardins zoológicos...resultante da antiga separação RDA e RFA através do Muro.Ainda há um resto num ponto da cidade chamado East Side Gallery.
Ainda em Berlim abundam memoriais à II Guerra Mundial.
Há uma escultura relembrando a perseguição aos judeus em Viena muito curiosa, perto da Ópera.

Acho que a lição maior que estas cinco cidades nos dão é que os seus habitantes tão cedo não desejam mais conflitos....respiram naturalidade, há uma aposta em caminhar para novas arquitecturas (Berlim,Viena), com ciclovias e sempre rodeadas de árvores e um planeamento urbano prévio.
Sente-se, contudo, que têm uma nostalgia de algumas falhas da sua História já longa: vi poucos vestígios de edifícios ou traços da Idade Média (ao contrário das nossas cidades), à excepção de Praga- justamente apelidada por cidade das cem torres.
Praticamente nestas cidades não existem centros comerciasi gigantes (shoppings).

Também não abundam as caixas multibanco em todas as esquinas nem dependências bancárias em qualquer edifício histórico (como cá acontece).
Reparei que ainda há aquele verdaderio espírito/objectivo do Café: estar algumas horas num bate-papo...o atendimento é de facto um pouco lento...por isso os empregados ficavam algo baralhados quando se pedia a conta tão cedo (principalmente em Viena e Praga).
Uma outra imagem que não me sai da cabeça: na Alemanha (aliás como já tinha observado em França) o que é das matas/florestas é só delas (e estão INTACTAS) e o que é do Homem então incorporam-nas (abundam os parques urbanos e em Viena ainda hoje existe o Prater)...

Entre as várias cidades (e principalmente a República Checa) há imensas florestas....
Na Austria e partes da Alemanha já abundam parques eólicos.
O único aspecto negativo que encontrei em todos estes países foram os seus rios: poluídos e com demasiada intervenção humana (canais, mini-hídricas, barragens).

quinta-feira, 17 de agosto de 2006

Colin Beavan- o Homem Sem Impacto


No Impact Man Colin Beavan welcomes you and explains the No Impact Experiment. Join us for a weeklong experiment to find the joy in reducing your impact! For more information and to join the No Impact Experiment community, visit No Impact Project.

quarta-feira, 16 de agosto de 2006

Em Berlim lembrei-me do Fausto de Goethe


Sim, a cidade de Berlim, reunificada, está uma cidade a meu ver realizada e natural...Tiergarten está magnífica! A cidade dos tempos do belíssimo filme Asas do Desejo de Wim Wenders está renascida.Os transportes públicos funcinam muito bem, há ciclovias por toda a cidade.É uma cidade muito arborizada, com novos parques e os antigos estão restaurados.Tem imensos museus e é muito viva culturalmente.Em todas as avenidas existem árvores.Vi muitos corvos e até falcões!! Portanto parece-me que está no bom caminho da sustentabilidade.
Não é uma cidade faustosa.Por isso lembrei-me da obra de Fausto de Goethe.

E a propósito disto tudo tenho aqui um texto de István Mészáros (autor do livro Para Além do Capital),intitulado O desafio do desenvolvimento sustentável e a cultura da igualdade substantiva . Afirma a certa altura que :o maior desafio do desenvolvimento sustentável, que agora devemos enfrentar, não pode ser devidamente tratado sem a remoção dos constrangimentos paralisantes de carácter adverso do nosso sistema de reprodução. Esta é a razão porque não pode ser evitada a questão da igualdade substantiva no nosso tempo como o foi no passado. Por sustentabilidade significamos o estar realmente no controlo dos processos culturais, económicos e sociais vitais através dos quais os seres humanos não só sobrevivem mas também podem encontrar satisfação, de acordo com os objectivos que colocam a si mesmos, em vez de estarem à mercê de imprevisíveis forças naturais e quase-naturais determinações sócio-económicas. A ordem social existente é edificada no antagonismo estrutural entre o capital e o trabalho, requerendo portanto o exercício de um controlo externo sobre todas as forças insubmissas. Adversariedade é o acompanhante necessário de tal sistema, não interessando quão elevados são os desperdícios humanos e económicos para a sua manutenção.O imperativo de eliminação de desperdícios está claramente nos nossos horizontes como a maior exigência do desenvolvimento sustentável . A economia a longo prazo deve ir de mãos dadas com um racional e humano propósito de economia , como é próprio ao núcleo do conceito. Mas o caminho de economia racional de modo a regular o nosso processo de reprodução social na base de um controlo interno/auto-dirigido , como oposição ao externo/de-cima-para-baixo actualmente prevalecente, é radicalmente incompatível com a desigualdade estrutural e adversariedade .

O que me impressionou neste discurso do filósofo István Mészáros é que estabelece uma comparação, e bem, entre a desregulação a vários níveis provocada pela (má) globalização com a visão faustiana de Goethe.
Berlim e os berlinenses penso que aprenderam com o seu Mestre Goethe e com a História e não desejam nem mostram ter pretensões faustianas.

quinta-feira, 10 de agosto de 2006

Dia Mundial do Leão

O Dia Mundial do Leão celebra-se a 10 de Agosto.

O Dia Mundial do Leão (World Lion Day) tem o objectivo de proteger este animal e o seu habitat. Estima-se que existem somente entre 30 mil e 100 mil leões selvagens no mundo, em África e na Ásia. A falta de proteção humana contra os caçadores e a destruição das florestas colocam a sobrevivência do leão em causa, assim como o seu parente, o tigre, que também tem um dia a si dedicado.

Foto: National Geographic