quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Noiva indiana pede 10 mil árvores ao invés de ouro como presente de casamento


Foto: Hindustan Times
Foto: Hindustan Times
Na Índia é muito comum que as noivas ganhem de presente de casamento muitos acessórios de ouro. Mas, o casamento de Priyanka Bhadoriya foi bem diferente. Aos 22 anos, a estudante de ciências, trocou o glamour dos presentes tradicionais por dez mil mudas de árvores.

Em entrevista ao site Hindustan Times, Priyanka explicou o que a fez optar pelo “presente alternativo”.


“Eu já planto árvores desde os dez anos de idade. Quando o meu casamento foi marcado para o Dia da Terra eu fiquei muito feliz, lembrou-me da minha ligação emocional com o meio ambiente”, disse.

A solicitação da jovem foi que metade das árvores fossem plantadas no terreno de sua família, onde seus pais vivem numa fazenda, e a outra parte fosse plantada nas terras da família do noivo.

Além das dez mil árvores, o casal aproveitou o dia do casamento – que aconteceu em Abril deste ano, para plantar três mudas de árvore para simbolizar a união. Eles ainda se comprometeram a repetir o acto todos os anos, como comemoração por cada aniversário de casamento.

Fonte: Ciclovivo

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Os primeiros campos de futebol não-rectangulares (em Inglês)


Sobre o uso de espaço público esconço.


Turning disused spaces in Bangkok into odd-shaped soccer (or: football) fields, this project provides much-needed places to play in dense cities where conventional lots are hard to find. It also serves as a potential model for creatively rethinking leftover urban land more broadly.







Developed in partnership with the Khlong Toei community, The Unusual Football Field project takes advantaged of abnormally shaped sites scattered around the district. Once areas of opportunity were identified and sides outlined, permission was sought, trash was cleared, land was leveled and fields were fit into each location.

Kids who might not otherwise have access to normal 105-by-68-meter fields can kick balls around these unusual courts, overcoming (or working with) the unique challenges of each variant. Sides can of course be switched mid-game as well to make sure things stay fair even on fields where one half could be seen as having an advantage.






Developed by AP Thailand, these creative fields represents an outside-the-box approach to working with urban density, rethinking possibilities and opportunities for irregular land configurations. These soccer-playing zones may be unconventional but are nonetheless popular, catering as they do to Thailand’s most popular sport. On the flip side, they can also be re-purposed again with equal ease if demand shifts.



The hope, in part, is that other developers and community activists might see potential in this model, adapting it to other dense cities where large regular spaces are hard to come by. Indeed, other sports and athletic activities could adopt similar models as well – though given the tight confines a baseball-oriented version may be out of the question.



Fonte: Web Urbanist


segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Minuto Verde: Assine a petição pelos nossos solos em People4soil.com


Salve o Solo
People4Soil. 4 razões para salvar os solos da Europa 

“People4Soil”, é uma rede aberta de organizações europeias, da sociedade civil, institutos de investigação, associações de agricultores e grupos ambientais. Estamos a promover uma “European Citizens Initiative” (ECI) - Iniciativa de Cidadania Europeia destinada a introduzir uma legislação específica sobre a protecção e conservação do solo. Este relatório fornece um conjunto de questões e dados estatísticos sobre a situação preocupante dos solos na Europa, incluindo quatro razões principais para protegê-la. Ajude-nos na divulgação da mensagem: vamos dar um direito ao solo!

Assina a petição aqui e divulga. Participa!


domingo, 4 de dezembro de 2016

Música do Bioterra : Morrissey - My Dearest Love

Lado B do single de Morrissey "All You Need Is Me"...pode ser encontrado também no CD "Swords".
Mais um excelente tema de Morrisey.

These tears I'm wailing
I spill not without reason
Remove them
My dearest love
My

Take me
To the place I've been dreaming of
Where the grotesquely lonely
Meet the grotesquely lonely
And they whisper
Just very softly
Please be mine
Dearest Love
Be my dearest love

I have hung on, hung on
Hung on for one hundred years
For someone to shake me
Someone to wake me
If necessary someone to break me
My dearest love

Ali MacGraw, nascida Elizabeth Alice MacGraw, (Pound Ridge, Nova Iorque, 1 de abril de 1939) é atriz norte-americana. Neste filme "Love Story" de 1970, realizado por Jennifer Cavilleri, ganhou merecidamente os prémios David di Donatello categoria Melhor Atriz;  Golden Globe Award categoria Melhor Atriz
e Indicada — Academy Award categoria Melhor Atriz

Ali McGraw é também activista pelos direitos dos animais.

sábado, 3 de dezembro de 2016

O mapa de Oriontius - O coração da gente

Mapa de "Orontius, o único/profundo Rei que fez Matemática"
Informação sobre Orontius e sobre o mapa:
Astrónomo e matemático, a partir de 1531 nomeado para a cadeira de matemática no Colégio Real (o atual Collège de France), Oronce Finé (1494-1555) foi um dos primeiros estudiosos franceses a trabalhar com cartografia. Seu mapa-múndi na forma de um coração pertence a um grupo de 18 projeções de mapas em forma de coração publicados entre 1511 e 1566. Inspirado por uma das projeções descritas pelo geógrafo do século II, Ptolomeu, esse sistema de projeção foi codificado por um matemático de Nuremberg, Johannes Werner (1468-1522), numa obra escrita em 1514. O mapa de Finé reflete o estado dos conhecimentos e as hipóteses geográficas e as incertezas de sua época. A América do Norte une-se à Ásia, e uma vasta Terra Australis, continente hipotético que os geógrafos supunham existir para contrabalançar o peso das massas de terra do norte, está desenhada no sul.
O mapa pertence à coleção do geógrafo Jean-Baptiste Bourguignon d'Anville (1697-1782).
Foi comprado pelo rei Luís XVI em 1779 e depositado na Biblioteca Nacional da França em 1924.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Escravatura Moderna- factos e números

Dia Internacional para a Abolição da Escravatura
"O egoísmo pessoal, o comodismo, a falta de generosidade, as pequenas cobardias do quotidiano, tudo isto contribui para essa perniciosa forma de cegueira mental que consiste em estar no mundo e não ver o mundo, ou só ver dele o que, em cada momento, for susceptível de servir os nossos interesses."~José Saramago


Facts and figures:
1. Almost 21 million people are victims of forced labour – 11.4 million women and girls and 9.5 million men and boys.

2. Almost 19 million victims are exploited by private individuals or enterprises and over 2 million by the state or rebel groups.

3. Of those exploited by individuals or enterprises, 4.5 million are victims of forced sexual exploitation.

4. Forced labour in the private economy generates US$ 150 billion in illegal profits per year.

5. Domestic work, agriculture, construction, manufacturing and entertainment are among the sectors most concerned.

6. Migrant workers and indigenous people are particularly vulnerable to forced labour.

Conheça e participe na Campanha 50 for freedom



2012 Global Estimate of Forced Labour

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Podemos estar a respirar microplásticos, avisa especialista

Frank Kelly, professor do King’s College de Londres, avisa que podemos estar a inalar micropartículas de plástico.


Há cada vez mais microplásticos no mar, onde os animais marinhos os ingerem por os confundirem com comida, e os cientistas também alertam para a sua presença nos terrenos agrícolas, onde ainda se desconhecem as suas consequências. Segundo Frank Kelly, professor de saúde ambiental do King’s College de Londres, haverá mais motivos para preocupação: podemos estar a inalar estas partículas, avisa.

“Existe uma possibilidade, uma possibilidade genuína, de que algumas destas micropartículas sejam arrastadas para o ar e transportadas de um lado para o outro e que nós acabemos por as inalar”, disse.

Na sua opinião, o tamanho destas partículas possibilita a sua inalação e o facto de estarem cada vez mais presentes nos nossos ambientes faz com que esta hipótese deva ser considerada. Os microplásticos poderiam ser transferidos para a atmosfera através da secagem das lamas de ETAR, utilizadas como fertilizante nos solos agrícolas, explica o professor, acrescentando que um estudo francês detetou a presença das partículas no ar.


“Se as inalarmos, elas poderão trazer químicos para as partes inferiores dos nossos pulmões e talvez até para a nossa circulação”, afirmou, comparando este problema a “todas as outras emissões” de poluentes dos veículos. Os efeitos na saúde dos microplásticos, quer ingeridos quer inalados, só agora começam a ser estudados.

Segundo o Departamento do Ambiente, da Alimentação e dos Assuntos Rurais do Reino Unido, “mesmo para os consumidores de grandes quantidades de peixe ou marisco com a maior probabilidade de possuírem um grau relativamente elevado de contaminação por microplásticos marinhos, é provável que a exposição dietética às partículas de microplásticos seja relativamente baixa em comparação com a inalação de microplásticos”.

Todos os anos, 8 milhões de toneladas de plástico invadem os oceanos, dando origem a biliões de pedaços deste material a flutuar na superfície marinha e depositados no fundo do mar. Um único banho pode originar a entrada de 100 mil partículas de plástico no oceano, graças à utilização de produtos de higiene – como gel de banho, esfoliantes e pasta de dentes – com micropartículas de plástico, segundo relatórios do Comité para a Auditoria Ambiental do Reino Unido.
Estas micropartículas perfazem apenas uma pequena quantidade do total de detritos de plástico no mar, contudo ativistas de todo o mundo defendem que a sua presença nos ecossistemas marinhos poderia ser facilmente evitada com proibições decretadas pelos governos. Face a estes protestos, os EUA proibiram a utilização destas partículas em dezembro de 2015 e o Reino Unido decretou também a sua proibição, que entrará em vigor em 2018.

As micropartículas de plástico são ingeridas por criaturas marinhas, que as confundem com comida. Os pequenos fragmentos podem acumular toxinas da água marinha, que são posteriormente passadas pela cadeia alimentar, explica o The Guardian.
De acordo com um estudo, uma pessoa que coma meia dúzia de ostras poderá estar a ingerir 50 micropartículas de plástico.

Fonte: Uniplanet

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Econtros Improváveis: Antoine de Saint-Exupéry e Tom Waits- November


"Se alguma coisa se te opõe e te fere, deixa crescer. É sinal que estás a ganhar raízes e a mudar. Abençoado ferimento que te faz parir de ti próprio." - Antoine de Saint-Exupéry


terça-feira, 29 de novembro de 2016

A senhora de 105 anos apaixonada pela natureza que nunca teve filhos, mas virou mãe de 384 árvores

Os 105 anos de vida de Saalumarada Thimmakka foram dedicados ao planeta. Depois de 25 anos casada com seu falecido marido sem terem tido filhos, Saalumarada resolveu sua tristeza plantando mais de 384 árvores– a quem ela hoje se refere como seus filhos. Natural de Karnataka, uma cidade rural do sul da Índia, Saalumarada plantou, alimentou e cuidou de suas árvores como se de fato fossem de sua carne – da sua família.

saalumarada7
Meu destino era mesmo não ter filhos”, ela disse. “Por isso, nós fomos abençoados plantando árvores e criando-as. Nós tratamos as árvores como se fossem nossos filhos”.
saalumarada3
Quando ela diz que criou e cuidou das plantas, porém, não se trata de uma mera imagem: Saalumarada vive em uma região árida com pouca chuva, o que exigiu que, ao longo dos anos, ela e o marido tivessem que carregar água por quilómetros para poder dar às árvores o que beber, além de protegê-las de animais e pragas.
Saalumarada agiu de facto como uma super mãe.
saalumarada8
Depois de tantos anos de dedicação absoluta, Saalumarada começa a receber ajuda para colher os seus frutos.Criou uma fundação em seu nome, voltada para cuidados com o meio ambiente assim como para escolas, educação e saúde.
saalumarada6
saalumarada1
Agora conseguiu, fruto de sua própria generosidade, uma preciosa ajuda e garantia para o futuro: um filho adotivo, chamado Sri Umesh, que actua como presidente da fundação, e que carregará no futuro o legado do nome de sua mãe – nome que já recebeu mais de 50 prémios internacionais, mas transcende a própria condição humana, e brilha entre pessoas, árvores e animais.
Saalumarada e seu filho adotivo
Saalumarada e o seu filho adoptivo

saalumarada2
© fotos: Hypeness
Fonte original: The Logica Iindian